Da Redação JM Notícia

 

Uma das campanhas mais famosas da Igreja Universal do Reino de Deus é a “Fogueira Santa” que incentiva os fiéis a fazerem provas de fé mediante a ofertas.

Um membro da IURD de Manaus (AM) participou desse desafio entregando grandes quantias em dinheiro e dois veículos – com as devidas documentações, mas se arrependeu e tentou na Justiça reaver o que havia doado.

A notícia-crime foi dada contra dois pastores da denominação, um foi o que pediu a recebeu as ofertas e o segundo foi procurado tempo depois quando o homem, em processo de falência de sua micro-empresa, tentou reaver suas doações.

Mas o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) arquivou na última quarta-feira (24) a ação movida pelo fiel, pois no entendimento do promotor de Justiça Mário Ypiranga Monteiro Neto não existem provas da prática de delitos.

O órgão entendeu que o caso se trata de liberdade de culto, onde qualquer pessoa é livre para doar seus bens, sendo bem difícil ficar demonstrado que existe algum dolo em quem solicita tais pertences em nome da igreja.

VEJA TAMBÉM
Justiça de MG autoriza que criança tenha duas mães na certidão de nascimento

“Diante da ausência de comprovação da materialidade e indícios de autoria, ficou prejudicada a instauração de procedimento policial”, explicou o promotor.

O caso chegou a ser investigado, mas a Polícia Civil concluiu que a notícia-crime se trata de mera situação de alienação religiosa, na qual o pastor induz seus fieis a efetuar a entrega de bens materiais para a igreja, e que isso não é crime. Com informações de “A Crítica”.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.
  • João Paulo

    Supostamente, diante de uma situação destas e por uma questão de moral, o ou os pastores que colocaram este senhor nesta situação, deveriam assumir as consequências.
    É muito facil prometer em nome de Deus, mas é necessário haver responsabilidade