Da Redação JM Notícia

 

Centenas de obreiros participaram do ENOADETINS (Encontro Estadual de Obreiros das Assembleias de Deus no Estado de Tocantins) e do EBADETINS (Escola Bíblica das Assembleias de Deus no Estado do Tocantins – Ministério Madureira) que aconteceram entre 26 e 28 de maio em Palmas.

Foram dias de ministrações e ensinamentos para obreiros e líderes das igrejas Assembleia de Deus Ministério Madureira do Estado do Tocantins.

O pastor Amarildo Martins, 5º vice-presidente da Assembleia de Deus Madureira, esteve presente e destacou a importância desse encontro para a igreja. “O sonho da nossa vida sempre foi formar, qualificar e requalificar os obreiros”, destacou.

Segundo o pastor, a sociedade está cada vez mais exigente e Deus não tem diminuído seus padrões de excelência para o desenvolvimento de Sua obra. Por isso a AD Madureira investe na qualificação dos seus obreiros.

Pastor Amarildo Martins – Foto Ricardo Costa

A pregação do apóstolo Robert A. Dodoo, de Gana, falou justamente sobre voltar para a essência, resgatando as raízes de padrões no serviço do Reino. “Nós baixamos o padrão, mas Deus não baixa o padrão. Quando Deus não achou ninguém para fazer a obra, Ele foi aonde estava Jesus porque ele não poderia baixar o padrão”, declarou o pastor.

VEJA TAMBÉM
AD Nação Madureira prepara evento para cerca de 8 mil pessoas neste sábado (12), diz pastor

O pastor Amarildo Martins entende que é preciso ter uma base sólida, mas também colunas resistentes e as colunas da Igreja são os obreiros. “Nós vamos continuar sendo Assembleia de Deus e Madureira, e muito mais que isso, continuaremos a ser a Igreja que Jesus veio edificar”, declarou.

Outro assunto levantado pelo pastor é que através do EBADETINS os membros da AD Madureira se tornem também membros da Igreja de Cristo. “Nosso trabalho com esta escola bíblica é fazer com que os membros da Assembleia Madureira neste estado, se tornem membros da Igreja de Jesus aqui na Terra”.

Áudio pastor Amarildo Martins

Outro ponto levantado pelo pastor foi que eles zelam pelo Evangelho verdadeiro, por isso não fazem a “venda barata” da Palavra de Deus. “Esse negócio de ficar vendendo o Evangelho barato não é nosso, não é do nosso sentimento e não será também do nosso feitio”, declarou.

Pastores dos 139 municípios do Tocantins participaram do evento na Capital

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.