Da Redação JM Notícia

 

O Senado aprovou na noite da última terça-feira (31) a instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que irá investigar os empréstimos bilionários do BNDES ao grupo J&F (holding que controla a JBS).

A proposta da criação da CPMI foi feita pelo senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) que comemorou a decisão do Senado.

“Os irmãos Batista aprontaram com nosso país, nosso povo e nosso povo. Explodiram o mundo político e econômico, lucraram milhões no mercado de  capitais com informações privilegiadas  e estão vivendo no bem bom nos Estados Unidos, com esse acordo de delação hiper premiada”, afirmou Ataídes.

A CPMI também irá investigar o acordo de delação premiada de Joesley e Wesley Batista e as operações no mercado de capitais que renderam um lucro de mais de R$ 700 milhões à JBS dias antes do vazamento da gravação com o presidente Michel Temer.

Autor do pedido da CPMI, o senador Ataídes Oliveira já prepara convocação dos irmãos Batista e de dois ex-presidentes do BNDES

Outro ponto requerido que será investigado será as irregularidades fiscais e previdenciárias do grupo. Há indícios de que as operações de empréstimo do BNDES ao grupo J&F foram executadas sem exigência de garantias e com a dispensa indevida de prêmio contratualmente previsto, o que teria gerado um prejuízo de aproximadamente R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos.

VEJA TAMBÉM
Com emenda do senador Ataídes, Hospital Dom Orione atualiza parque tecnológico

Ataídes se prepara para convocar os irmãos Batista e também os dois ex-presidentes do BNDES, Luciano Coutinho e Demian Fiocca para deporem na comissão.

O senador irá exigir explicações sobre a atuação ou a omissão da CVM, que já instaurou oito processos administrativos para investigar o frigorífico JBS.

A CPMI deve ser instalada na próxima semana quando os líderes partidários na Câmara e no Senado indicarão membros do colegiado, que será composto por 16 senadores e 16 deputados efetivos e igual número de suplentes.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.