Da Redação JM Notícia

 

Neste domingo (4) o Estado Islâmico (EI) assumiu o ataque que aconteceu no sábado no London Bridge, em Londres, e também no Bourugh Market. Os atentados deixaram dez mortos, sendo sete civis e três terroristas, conforme informações oficiais divulgadas por agências de notícias.

Através da agência Amaq, que faz a comunicação dos terroristas, a nota assumindo a autoria dos crimes foi divulgada e traduzida no Twitter por Rita Katz, diretora do SITE Intel Group, que monitora a ação de grupos jihadistas na internet.

No texto os terroristas disseram: “Um destacamento de combatentes do Estado Islâmico promoveu o ataque de Londres ontem”. Rita acredita que a palavra “destacamento” diz que o atentado foi coordenado com o grupo, ou seja, não foram ataques de “lobos solitários” que juram fidelidade ao EI.

Os ataques do grupo terrorista estão se intensificando por conta do Ramadã, mês sagrado aos muçulmanos, que através do Telegram estão convocando seus seguidores para promover ataques com caminhões, facas e armas.

VEJA TAMBÉM
Estado Islâmico ameaça matar mais de 30 cristãos, presos na Líbia

Ataque em Londres

Uma van foi usada na noite do sábado para atropelar pedestres que passavam pela London Bridge. Testemunhas afirmam que o veículo estava a mais de 80 km/h, e foi direto ao grupo de pessoas que visitavam um dos cartões-postais da cidade.

Depois desse ataque, homens sacaram facas e passaram a atacar em bares e restaurantes nas proximidades de Borough Market. Uma testemunha ouviu um dos terroristas gritar, “isto é por Alá”.

Sete pessoas morreram e 48 foram socorridas. Destas, 36 continuam internadas, sendo que 21 estão em estado crítico. Três terroristas envolvidos nos crimes foram mortos pela polícia. Mas ainda não se sabe ao certo quantas pessoas participaram desses ataques.

Neste domingo 12 pessoas foram presas suspeitas de participaram dos atentados. Sete dos presos são mulheres e cinco, homens, todos com idades que variam entre 19 e 60 anos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.