Vereador Filipe Martins (PSC) – Vereador critica implantação de ambulatório específico para público LGBT: “Vai contra a própria constituição”

O vereador Filipe Martins (PSC) comentou nesta quinta-feira, 8, sobre a possível  implantação de um ambulatório especializado no atendimento a transexuais e travestis, em Palmas. Para o vereador, o artigo 5º da Constituição Federal, deixa claro que: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”, combinado com o Art. 196 que estabelece: “Saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais que visem a redução do risco de doenças…”. 

 
Para o parlamentar, não haveria necessidade de discriminar o restante da sociedade, já que “Justiça significa direitos iguais para todos e privilégio especial para ninguém” (Thomas Jefferson)”, citou.
 
“O meu posicionamento é contrário ao ambulatório exclusivo só para este público. Não tenho nada contra os travestis, transexuais, que fique claro, mas porque discriminar o restante da sociedade? Precisaríamos então de um ambulatório exclusivo também para as gestantes, idosos, deficientes físicos, etc“, pontuou.
 
Filipe Martins lembrou ainda, que uma necessidade urgente da saúde seria a construção de um Hospital Municipal com serviços de primeiros socorros, que segundo ele, resolveria o problema de uma grande demanda na área da saúde. “Desafogaríamos o Hospital Geral de Palmas e com atendimento para todos, sem extinção”, sugeriu.
 
Entenda
 
A prefeitura de Palmas divulgou esta semana que está sendo discutida a implantação de um ambulatório especializado no atendimento a transexuais e travestis, durante reunião com representantes de entidades representativas desse segmento da população com o secretário da Saúde de Palmas, Nésio Fernandes. De acordo com o secretário, o serviço teria a função de atender as travestis e transexuais de forma integral.
 
Uma das justificativas, defendidas durante o encontro, seria garantir a esse público, o uso de hormônios por meio da terapia hormonal , tendo em vista “as dificuldades na aquisição dos medicamentos, devido ao custo e também no direcionamento do tratamento”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.