Começa hoje a quarta etapa de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) inativo. Em todo o Estado 13 agências estarão atendendo trabalhadores que fazem aniversário nos meses de setembro, outubro e novembro. A previsão da Caixa Econômica é de que 35.200 pessoas receberão cerca de R$ 28,5 milhões nesta etapa, somente no Tocantins.

De acordo com a Caixa, em Palmas cinco agências estarão abertas hoje (Palmas, Serra do Carmo, Tocantins, Jalapão e Taquaralto), em Araguaína serão três (Araguaína, Rio Lontra e Alto São João); duas em Gurupi (Gurupi e Javaé) e uma agência nos municípios de Colinas, Porto Nacional e Paraíso.

Além do atendimento extra de hoje, durante a segunda, terça e quarta-feira todas as agências da Caixa abrirão com duas horas de antecedência, para atendimento exclusivo para saques e esclarecimento de dúvidas do FGTS.

A próxima e última etapa de saque acontece no dia 14 de julho e irá contemplar os trabalhadores que nasceram no mês de dezembro. O prazo final para o saque é até o dia 31 de julho e vale para todos os trabalhadores, independente do mês de nascimento. “Quem estava nas etapas anteriores ainda pode sacar e continuará podendo até o dia 31 de julho. Depois disso o dinheiro fica retido na conta do Fundo de Garantia e então quando completar três anos de conta inativa a pessoa poderá fazer o saque”, explicou a superintendente da Caixa no Tocantins, Silvia Leandra Pelloso.

VEJA TAMBÉM
Agora, o FGTS servirá de garantia de empréstimo consignado para os trabalhadores

Até o momento, pouco mais de 77 mil pessoas realizaram os saques das contas inativas no Tocantins, somando um total de quase de R$ 75 milhões. Ao todo, no fim do processo cerca de R$ 107 milhões terão sido sacados de 132 mil contas inativas em todo o Estado. No Brasil serão mais de R$ 43 bilhões de mais de 30 milhões de contas.

Precauções A superintendente informou ainda que os problemas registrados, em geral, dizem respeito à falta de alguma informação. “A maior parte dos problemas que temos diz respeito aos casos em que as empresas não deram baixa na demissão e por isso o nosso sistema não identifica que essa pessoa tem saldo disponível”, explicou. Silvia Pelloso enfatizou a importância de não deixar o saque para ultima hora. “Por isso pedimos que seja levada a carteira de trabalho ou o termo de rescisão do contrato, para que nós atualizemos o cadastro dessa pessoa e possamos liberar o FGTS. Procedimento que leva alguns dias para ser computado no sistema”, disse. Jornal do Tocantins

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.