Da Redação JM Notícia

 

Acontece nesta quinta-feira (15) em São Paulo a 25ª Marcha para Jesus, evento trazido ao Brasil pelo casal Estevam e Sônia Hernandes, líderes da Igreja Renascer em Cristo em 1993.

A multidão que faz desse evento o maior do segmento evangélico do país – e um dos maiores do mundo – tem muita importância história e política, por mostrar a força do grupo no país.

A primeira edição da Marcha conseguiu atrair 300 mil pessoas até a Avenida Paulista, a principal da cidade de São Paulo. Em 2016, os organizadores afirmaram um público de 4,8 mil caravanas vindas de todas as regiões do país.

Desde 2009 o evento faz parte do calendário oficial do país segundo a Lei Federal 12.025 assinada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em São Paulo há outra lei, dessa vez datada de 2015, que define o dia da Marcha para Jesus para o feriado de Corpus Christi.

Apesar de ser organizada e o coordenada pela Igreja Renascer em Cristo, diversas denominações evangélicas apoiam e participam deste evento em São Paulo que chega a atrair até 3 milhões de pessoas.

VEJA TAMBÉM
Renascer em Cristo monta disputa de MMA dentro da igreja e atrai jovens
Multidão: Evangélicos de diversas denominações participam da Marcha para Jesus de São Paulo

 

Evento não político, apenas religioso

Apesar de dar espaço para que autoridades políticas falem com o público no evento, os organizadores negam que se trata de um evento político, apenas um dia de celebração religiosa.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o bispo Leandro Miglioli, coordenador do evento, garantiu que não será abordado temas como crise política e financeira no evento.

“A Marcha não tem como objetivo exaltar qualquer coisa negativa acontecendo no Brasil, a não ser orar por ele. Vamos marchar, sim, para Deus abençoar nosso país”, declarou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.