Da Redação JM Notícia

 

Uma reportagem da Folha de São Paulo relata um encontro realizado no Rio de Janeiro na última segunda-feira (12) para anunciar o plano de previdência privada focado nos evangélicos.

Representando quase 30% da população brasileira, o que daria cerca de 60 milhões de pessoas, os evangélicos se tornam público alvo dos mais diferentes tipos de produtos e serviços.

Mas a ideia de uma previdência privada para este público partiu do pastor Lemim Lemos, 74 anos, da Igreja Batista. Ele é presidente do Instituto Brasileiro Evangélico de Memória Pastoral (Ibemp) e agora do BemPrev. “Nossa intenção é virar o maior fundo de previdência privada do Brasil”, afirmou ele diante dos líderes que foram convidados para este encontro.

Foto meramente ilustrativa

O vice-presidente da Ibemp, o pastor Flávio Lima, 72, afirmou que no primeiro semestre eles esperam receber 150 mil afiliados. “A ideia é, em dois anos, termos mais de um milhão”, declarou ele. E o BemPrev não ficará limitado aos evangélicos, devendo atrair integrantes de outras religiões. A Ibemp já listou a Igreja Católica e até uma associação espírita.

VEJA TAMBÉM
Malafaia apoia reforma trabalhista e parabeniza deputados

Os planos da BemPrev teriam contribuições mínimas de R$ 50 e a gestão dos produtos será realizada pela Globus Seguros, com ajuda da Mapfre e outras seguradoras. Outro valor cobrado dos beneficiários seria uma parcela de R$ 25 ao mês para um cartão de vantagens, com desconto em redes de lojas.

Essa não é a primeira vez que eles tentam lançar a BemPrev, segundo a reportagem da Folha houve outras tentativas, em 2013, por exemplo, eles tentaram mas adiaram por “dificuldades de natureza técnica”.

A Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão que gere previdências abertas a qualquer pessoa física ou jurídica, está com o projeto.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.