Da Redação JM Notícia

 

O vereador Otoni de Paula (RJ) comentou a decisão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, de reduzir pela metade o valor milionário dado pela prefeitura para as escolas de samba que desfilam no Carnaval.

A verba de R$ 24 milhões seria reduzida para R$ 12 milhões, valor este que, segundo o vereador, era pago pelo governo do Estado antes de decretar falência. Otoni explicou que o governador Pezão deixou de pagar e que o prefeito Eduardo Paes assumiu a contrapartida, tirando um valor considerável dos cofres públicos para incentivar uma festa que pode ser financiada pela iniciativa privada.

Mas o discurso do vereador não começou com este ponto, na tribuna da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Otoni de Paula comentou as críticas de que o prefeito estaria reduzindo a verba do Carnaval por ser evangélico, assim como ele.

“O debate não é este”, declarou ele sobre a religião do prefeito que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus. “O Carnaval se tornou um verdadeiro culto aos orixás, caboclos e guias com dinheiro público. E não me venha falar de cultura pra mim”, criticou.

VEJA TAMBÉM
Prefeitura de Araguaína retira Marcha para Jesus das festividades de aniversário a pedido de pastores

Lendo as letras de alguns enredos de escolas de samba carioca, o vereador destacou letras que falam de entidades da umbanda e candomblé. “Isso aqui é culto, culto com o dinheiro público”, declarou ele contestando que se fossem letras com dizeres cristãos haveria muitas críticas ao Carnaval.

O vereador aproveitou para dizer que o Carnaval dá muito lucro para a prostituição e para o tráfico de drogas e contesta a fala de que ele dá lucro de R$ 3 bilhões, dizendo que não há como comprovar que este dinheiro realmente entra aos cofres públicos. “Me mostre a fonte que prova que a cidade recebe 3 bilhões de reais no Carnaval de lucro. Cadê a fonte? Isso é conversa e está todo mundo repetindo”, declarou.

Otoni de Paula sugere privatização de eventos

E o parlamentar defendeu também a privatização do Carnaval, da Parada Gay e da Marcha para Jesus, pois são eventos que custam aos cofres públicos e que poderiam ter esses valores investido em educação, saúde e segurança.

“Escola de samba não é do Rio, escola de samba é de bicheiro, ela tem dono. Assim como os clubes de futebol também tem dono”, declarou.

VEJA TAMBÉM
Jornal da Universal ataca políticos do PMDB do Rio

Segundo ele, mais de 70% dos cariocas aprovam a decisão de Crivella de tirar os R$ 12 milhões do Carnaval para a criação de creches. “O povo não aguenta mais dar dinheiro para o que não é público”, declarou.

O Carnaval precisa ser privatizado, portanto eu começo hoje uma campanha: privatização do Carnaval, já!”, declarou o parlamentar pedindo também a privatização de outros eventos como Marcha para Jesus e Parada Gay.

“Quer ir sambar? Samba. Mas não samba com o meu dinheiro. Quer marcha para Jesus? Marche! Mas não marche com o meu dinheiro. Quer ter orgulho de ser gay? Pode ter, solte a franga, mas não solta com o meu dinheiro“, afirmou Otoni de Paula. “O meu dinheiro só serve para segurança, para hospital, para educação e para aquilo que é público”, encerrou ele.

Assista:

TEU DINHEIRO NÃO É PARA PATROCINAR CARNAVAL

Publicado por Otoni De Paula em Quinta, 22 de junho de 2017

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.
  • Hagnus Alves AB

    Ben dito!!!