Da Redação JM Notícia

 

Uma garota de 12 anos ganhou notoriedade na internet após a divulgação do vídeo onde ela diz diante da igreja que é gay e que Deus a ama mesmo assim.

Savannah é membro de uma Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em Eagle Mountain, Utah (Estados Unidos), e aproveitou a oportunidade dada uma vez ao mês na igreja para compartilhar seus sentimentos e fazer a revelação.

Com o apoio de seus pais, a menina resolveu confrontar a liderança da igreja que é uma das denominações mais conservadoras quando o assunto é homossexualidade.

“Eles não erraram quando me deram sardas ou quando me fizeram ser gay,” disse ela. “Deus me ama da forma como eu sou”, disse ela.

A jovem ainda afirmou que não escolheu ser gay e que não é possível fazer alguém “virar gay”. “Eu acredito que Deus quer que nós nos tratemos com bondade, mesmo se as pessoas forem diferentes, principalmente se elas forem diferentes”, declarou ela antes que o microfone fosse cortado, impedindo que ela continuasse.

VEJA TAMBÉM
Bispo católico justifica sua posição de que “homossexualidade é dom de Deus”
Depois de ter o discurso interrompido a menina foi para o colo da mãe e chorou

A mãe de Savannah, Heather Kester, afirmou à imprensa americana que a garota estava decidida a se tornar uma voz para as crianças LGBT que sofrem pelas normas da igreja.

A igreja mórmon tem se colocado contrária ao casamento de pessoas do mesmo sexo. Mas no caso de Savannah, o bispo que lidera a congregação ao sul de Salt Lake City, Judd Law, mostrou compromisso em fazer com que a garota e sua família se sintam amadas pela congregação.

Na nota, o bispo afirmou que a jovem “é uma menina corajosa”, mas que a gravação de sua declaração e a publicação da mesma foi uma “demonstração inconveniente” e que foi feita por um grupo de não-mórmons que estavam no local só para acompanhar a fala da garota.

“Nós não falamos de política em nossas igrejas, e explorar esta gravação por razões políticas não condiz com a natureza das nossas reuniões”, completou o bispo Law.

A mãe de Savannah não é mórmon, mas seu esposo é e por isso a menina foi criada na igreja, participando das cerimônias. Ao ver que a sua filha teve o microfone cortado e foi orientada a sair do palco, a mãe contestou.  “Eu fiquei brava pela forma como eles lidaram com a situação”, disse Heather afirmando que a menina foi até ela e chorou. “Eu me senti arrasada por ela”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.