Da Redação JM Notícia

 

Através de uma nota oficial, Secretaria da Comunicação Social (Secom) do Governo do Estado de Tocantins reconhece o erro na divulgação de peças publicitárias que falavam sobre a contratação de novos servidores para a Polícia Civil e comunica retirada de outdoors.

As peças mostram que quase 400 servidores aprovados no concurso da Polícia Civil haviam sido convocados para trabalhar, porém a comissão dos candidatos aprovados enviou uma nota à imprensa dizendo que dos 515 que passaram no concurso, apenas 248 tomaram posse dos cargos.

A Secom emitiu uma nota explicando que de fato foram disponibilizadas 515 entre imediatas e formação de cadastro reserva. Eram 397 de provimento imediato no concurso feito em 2014 e destas 248 foram chamadas, sendo: 53 delegados de polícia, 44 agentes de polícia, 63 escrivães de polícia, 26 agentes de necrotomia, 14 papiloscopistas, 13 médicos legistas e 35 peritos criminais.

Por ter noticiado um número superior ao que realmente foi contratado, a Secom cancelou a veiculação da publicidade e pediu desculpas à população pelo erro. “Pedimos desculpas pelo equívoco e reafirmamos o compromisso do Governo em continuar investindo na melhoria das ações de Segurança Pública”.

VEJA TAMBÉM
Sobre a ideologia de gênero, Prefeitura de Colinas do TO diz que o assunto aborda apenas "formação das famílias"

 

Leia a nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Por um equívoco na arte elaborada para divulgação dos dados referentes ao concurso Público da Secretaria da Segurança Pública (SSP), encerrado em dezembro de 2016, a Secretaria da Comunicação Social (Secom) esclarece que, assim que o erro foi detectado, a veiculação da publicidade, na forma de outdoor foi imediatamente suspensa.

A Secom esclarece que ao todo foram disponibilizadas 515 vagas para provimento imediato e formação de cadastro de reserva da Polícia Civil.

De 397 vagas previstas para provimento imediato, 248 já foram preenchidas com a convocação de 53 delegados de polícia, 44 agentes de polícia, 63 escrivães de polícia, 26 agentes de necrotomia, 14 papiloscopistas, 13 médicos legistas e 35 peritos criminais conforme previsto no planejamento orçamentário anual.

O número de profissionais convocados se aproxima do ideal necessário ao bom andamento dos trabalhos da Polícia Civil e Polícia Técnico Científica do Estado. Os demais classificados poderão ser convocados à medida que haja disponibilidade orçamentária e financeira para isso. Vale ressaltar que o concurso tem validade até o mês de março de 2019, podendo ser prorrogado por mais dois anos.

Pedimos desculpas pelo equívoco e reafirmamos o compromisso do Governo em continuar investindo na melhoria das ações de Segurança Pública, que além do concurso, consta da entrega de novas delegacias equipadas, viaturas, armamento, munições, coletes à prova de balas, instrumentos necessários trabalho dos valorosos profissionais que atuam na área em defesa do cidadão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.