Da Redação JM Notícia

 

A decisão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), de diminuir a verba pública destinada às escolas de samba deixou os carnavalescos enfurecidos, tanto que o Leandro Vieira, da Mangueira, já ameaçou colocar no enredo tudo o que o prefeito não gosta.

“Vou colocar um pouco de tudo o que o prefeito Marcelo Crivella não gosta: botequim, cerveja, bloco de rua, roda de samba e travestis”, disse ele para a coluna Gente Boa do jornal O Globo.

Crivella é evangélico, sobrinho do bispo Edir Macedo e bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, a maior denominação neopentecostal do país.

Mas a decisão de cortar a verba das escolas de samba não tem ligação com a fé do prefeito, mas com o orçamento da Prefeitura. Cada uma das 12 escolas de samba do grupo especial recebia R$ 2 milhões da prefeitura.

Crivella anunciou o corte de R$ 1 milhão, para poder investir o valor na construção de novas creches, uma das prioridades da cidade. Para protestar sobre o corte, o carnavalesco da Mangueira escreveu a música “Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.