Da Redação JM Notícia

 

A gangue Badoo tem espalhado terror em Owode Onirin, a alguns quilômetros de Lagos, capital econômica da Nigéria, matando cristãos em igrejas, estimulados por drogas e superstições de magia negra. Na semana passada o grupo invadiu a Igreja de Cristal de Deus assassinando quatro fiéis que estavam rezando.

Desde junho o grupo já matou 30 pessoas nos subúrbios da cidade que passa a viver acovardada com a nova onda de violência.

A Nigéria é dividida em duas partes, o Norte do país de maioria muçulmana que nos últimos anos tem sido devastada pelos radicais do Boko Haram. A parte Sul tem maioria cristã e agora começa a se preocupar com o crescimento dessa gangue.

A violência como o Badoo ataca tem gerado pânico. “Provavelmente escalaram o muro e hipnotizaram as vítimas antes de passar à ação”, declarou Israel Ojobaro, engenheiro vizinho da igreja em entrevista à AFP.

Ao visitar o local, os jornalistas da agência viram as roubas ensanguentadas, tambores, bíblias e livros de oração que foram deixados no local. “Duas mulheres, duas crianças, incluindo um bebê de nove meses, tiveram a cabeça esmagada com uma pedra pontiaguda”, declarou o engenheiro.

VEJA TAMBÉM
Rússia diz que matou líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi

Ao sair da igreja Cristal de Deus, a gangue se dirigiu a outro templo que ficava na mesma rua, roubando o dinheiro e telefones celulares dos fiéis. “Devem ter utilizado poderes (mágicos), porque ninguém os viu entrar na igreja. Quando os fiéis acordaram, seus telefones e dinheiro tinham desaparecido”, declarou o pastor Taiwo Adesanya.

 

População tenta encontrar suspeitos

Igreja de Cristal de Deus, onde quatro pessoas foram mortas por uma gangue na região de Lagos| Foto: AFP

Assustados, os habitantes de Owode Onirin não confiam na polícia e tentam, por conta própria, encontrar os suspeitos fazendo vigílias pelas ruas da cidade entre as 22h e 6h. Qualquer pessoa suspeita é morta, o que já resultou com o assassinato de dez suspeitos.

A AFP declara que o primeiro ataque do grupo aconteceu no ano passado quando uma professora foi estuprada e assassinada em Ibeshe, a 10 km de Lagos. Esmagaram o crânio d aprovessora com uma pedra e escreveram “Badoo” na parede.

Vários crimes aconteceram depois e todos de forma semelhante. Alguns moradores da região acreditam que os criminosos possuem poderes mágicos por aparecerem e desaparecerem misteriosamente quando cometem crime. Eles ainda dessagram as vítimas para derramar o sangue dentro de uma abóbora e mergulhar um lenço branco nela.

VEJA TAMBÉM
Estado Islâmico invade igreja e mata padre na França

“Há rumores de que Badoo vende o lenço embebido em sangue aos bruxos que o usam para infundir poder e prosperidade” em seus clientes, revelou Babatunde Ogunyemi, um líder tradicional de Ibeshe.

As autoridades das cidades próximas já estão avisadas e buscam encontrar e deter integrantes desse e de outros grupos que possam surgir.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.