1. Da Redação JM Notícia

 

Nesta terça-feira (18) o governador Marcelo Miranda sancionou a Lei 3.243 que autoriza o Poder Executivo Estadual a contratar operação de crédito com o Banco do Brasil no valor de até R$ 146,7 milhões. O valor será destinado ao financiamento de ações na área da Saúde, Educação, Segurança Pública, Gestão e Infraestrutura.

A lei autorizativa foi aprovada pela Assembleia Legislativa no último dia 7 de julho, depois de amplo debate sobre a destinação dos recursos e, ao chegar na mesa do governador, foi sancionada para gerar o desenvolvimento do Estado.

Na área da saúde, os recursos contratados pelo Banco do Brasil serão aplicados nas seguintes ações: conclusão da reforma do Hospital Geral de Palmas (HGP), no valor R$ 50 milhões; reforma e ampliação do Hospital de Paraíso do Tocantins, R$ 2,3 milhões; continuidade da construção do Hospital Geral de Araguaína, R$ 50 milhões; e, conclusão e ampliação da UTI do Hospital Regional de Augustinópolis, R$ 5 milhões.

Hospital Geral de Palmas será um dos principais beneficiados com os recursos

Para a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, os recursos recebidos serão utilizados na conclusão do Fórum de Araguaína, no valor R$ 15 milhões; implantação dos campi da Unitins na Região do Bico do Papagaio, que receberá R$ 11 milhões; a continuidade da pavimentação da TO-126, trecho Tocantinópolis/Ribeirão Grande, com R$ 4 milhões; e a reforma da rodoviária de Gurupi, que receberá R$ 2,3 milhões.

VEJA TAMBÉM
Tocantins tem destaque negativo no volume de vendas em outubro

Já a pasta da Educação será contemplada com recursos para as reformas do Estádio de Futebol Rezendão, no valor de R$ 2,5 milhões; e do ginásio de esportes Idonizete de Paula, R$ 1,5 milhão, ambas em Gurupi.

Os recursos também vão financiar a aquisição de equipamentos para o Tribunal de Contas do Estado, no valor de R$ 3 milhões.

No Projeto de Lei enviado à Assembleia Legislativa, o Executivo solicita ainda a autorização para contratar R$ 453 milhões e 240 mil pela Caixa Econômica Federal, totalizando R$ 600 milhões em operações de crédito interno, com o aval da União. A matéria ainda não foi analisada pelos parlamentares.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.