Da Redação JM Notícia

 

A psicóloga Marisa Lobo foi convidada para participar do Seminário de Drogas em Teresina (PI). Marcado para acontecer na manhã desta quinta-feira (20), o evento passou a ser atacado por uma responsável pelos Direitos Humanos da cidade.

Marisa Lobo usou suas redes sociais para desabafar e falar sobre a tentativa de boicote que o evento sofreu.

“A responsável pelos Direitos Humanos está difamando e boicotando o evento por conta da minha presença, chegou a pedir aos coordenadores que me retirassem do evento”, declarou a psicóloga.

Os coordenadores do evento não aceitaram retirar Marisa da lista de palestrantes e então a pessoa retirou o apoio ao evento e ainda foi ao Ministério Público e a outros apoiadores difamar o evento que trata de um assunto tão importante e atual para a sociedade brasileira que é o consumo e enfrentamento dos vícios das drogas.

“Me pergunto que tipo de pessoa é essa que massacra, humilha, ofende, boicota usando seu cargo e pior tirando o direito humano das pessoas que precisam aprender em um evento como esse”, declara Marisa. Quantos seres humanos morrendo por conta do vício e uma mulher que me odeia sem nunca ter me visto toma uma atitude dessa intransigente”, desabafa.

VEJA TAMBÉM
Obra missionária no Piaui utiliza do esporte para ganhar vidas

Ao longo dos últimos anos Marisa Lobo tem enfrentado diversas situações semelhantes por ser uma defensora da família e da vida, contrariando a agenda marxista defendida pelos Direitos Humanos. “Eles são assim, não dialogam, apenas agem com violência moral pelas costas”, disse.

O evento é realizado pelo ministério Casa do Oleiro, que segundo Marisa é “um ministério sério de muitos anos e muito respeitado em Teresina”.

O espaço é uma casa terapêutica que trabalha com usuários de drogas, visando a recuperação dessas pessoas, devolvendo a vida e a dignidade. “Quem se importa com viciados? Se não as igrejas… esse povo só mostra o descaso que tem por viciados, com o sofrimento alheio.  Estou indo palestrar agora é com certeza, teremos mais perseguição. Mas é na perseguição que Deus nos exalta”, declara a psicóloga.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.