Da Redação JM Notícia

 

Uma auditoria do Ministério da Saúde afirma que o Governo do Tocantins informou dados falsos para receber repasses de dinheiro do Governo Federal.

Pela investigação, a Secretaria Estadual da Saúde informou que entregou 617 aparelhos auditivos que nunca chegaram aos pacientes.

Segundo Frederico Silvério, do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus), o Ministério da Saúde entregou mais de R$ 500 mil para a compra dos aparelhos auditivos e agora é necessário investigar para onde foi este valor.

“Foram informados dados fictícios para se manter o teto de financiamento da média e alta complexidade. O estado tem que atingir uma média de produção para se manter o teto de financiamento”, declarou Silvério.

Uma reportagem recente do site G1, mostrou que mais de 430 tocantinenses estão na fila de espera para receber aparelhos auditivos do governo. A Defensoria Pública Estadual entrou com uma ação na Justiça para obrigar o governo a entregar as próteses, mas ainda não há prazos para essas entregas.

VEJA TAMBÉM
Igreja enviava brasileiros aos EUA para trabalharem como escravos, diz denúncia

Quem cuida do processo é o defensor público Arthur Pádua que quer que os casos de surdez sejam considerados urgentes para que o governo estadual tome as medidas necessárias.

“É um absurdo, o entendimento da secretaria no sentido de que uma criança possa ficar durante dois, três anos aguardando um aparelho para poder ouvir, né. A surdez, ela causa uma série de transtornos e de problemas e maiores agravos a essas pessoas, além da falta do desenvolvimento regular”.

A ação da foi aberta antes da denúncia do Denasus e os dados da auditoria foram encaminhados ao Ministério Público e para o Ministério da Saúde. Em sua defesa, a Secretaria de Saúde disse que retomou a entrega dos aparelhos auditivos em março e que a entrega respeita a lista do serviço estadual de regulação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.