Da Redação JM Notícia

 

Comerciantes e parlamentares se reuniram para debater o assunto

Os empresários de Taquaralto, região sul de Palmas, estão contra o projeto do shopping a céu aberto proposta pelo prefeito Amastha e que deve custar R$ 17 milhões aos cofres públicos. Alguns parlamentares estiveram ontem (25) em reunião com os comerciantes da Avenida Tocantins, entre eles o deputado Wanderlei Barbosa (SD), os vereadores Léo Barbosa (SD), Milton Neris (PP), Vandim da Cerâmica (PSDC) e Lúcio Campelo (PR) que puderam conhecer o descontentamento dos empresários com o projeto

“Na verdade, não tem projeto é um desenho, um layout. Teve várias modificações, mas não ouviu a população, os empresários e isso está trazendo vários questionamentos”, disse o vereador Milton Neris.

Entre as dúvidas está a falta de estacionamento, pois faria da avenida a única da capital a não ter onde estacionar os carros, indo contra ao que diz o plano diretor da cidade.  “Por que está tirando o estacionamento se o plano diretor obriga?”, questiona o vereador ao falar da falta de diálogo entre a prefeitura e os comerciantes. “A prefeitura está estreitando a pista e está dificultando para os empresários”, completa.

VEJA TAMBÉM
Pr. Everaldo Pereira e Jair Bolsonaro lançam pré-candidatura de João Campos no próximo dia 16

Outra crítica dos comerciantes é a falta de licença ambiental no projeto da prefeitura. Algumas árvores já estão sendo cortadas sem autorização, outras estão morrendo pela falta de cuidados. Fora isso, retiraram também os acessos para escoamento artificial de água, pontos importantes que impediam o alagamento das vias em dias chuvosos, o que pode resultar em enchentes em um futuro próximo.

Por esses e outros pontos os empresários estão contra o projeto do shopping a céu aberto. “Nós não vamos desistir da luta. Já entramos com um processo na Justiça e a determinação foi que a Prefeitura tem 72 horas para apresentar as audiências públicas com todas as informações”, declarou o vereador após o encontro.

Os comerciantes querem a embargar a obra para que o projeto seja discutido e todas as irregularidades sejam solucionadas, para não prejudicar o comércio da área que é a que mais gera emprego na região sul da capital.

De acordo com o deputado Wanderlei, a classe empresarial da região está apavorada com as modificações na Avenida. “É preciso ouvir as manifestações dos empresários, pois eles acreditavam em um projeto que viria para melhorar o comércio”, disse o parlamentar.

VEJA TAMBÉM
Moisemar Marinho apresenta projeto de lei para acessibilidade de deficientes em Palmas

Para o vereador Léo Barbosa (SD), que também participou da reunião, as queixas de quem vive do comércio local não podem ser menosprezadas.”Não sou contra o projeto, mas não podemos aceitá-lo da maneira com que está sendo implantado”, disse.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.