Da Redação JM Notícia

 

O vereador Professor Júnior Geo (PROS) iniciou este segundo semestre de trabalhos na Câmara questionando os valores disponíveis ao Executivo para realização de obras, fazendo um alerta para a falta de transparência da Prefeitura.

Um dos exemplos dado pelo parlamentar foi sobre as obras do shopping a céu aberto iniciada na Avenida Tocantins, em Taquaralto, que tem levantado questionamentos por parte dos empresários da região.

Este projeto custará R$ 17 milhões, valor que não terá um retorno efetivo para a população de Palmas. “Estamos abertos a mudanças que venham a melhorar a sociedade, esperamos isso da gestão. Mas esperamos também clareza, transparência, o compartilhamento com os envolvidos, para que a maioria esteja satisfeita com o que está sendo feito”, explicou.

Geo falou sobre a falta de soluções para problemas como trânsito, falou também que o shopping a céu aberto pode ser um gasto da Prefeitura que não trará benefícios como foi as obras dos Jogos Mundiais Indígenas, também questionado por ele na época de sua execução. A promessa era de que haveria geração de emprego e renda, mas isso não aconteceu.

VEJA TAMBÉM
Justiça nega ação do MPE e cobrança do estacionamento rotativo continua em Palmas

Foram 40 milhões gastos e nada do que foi prometido se concretizou em benefício para os palmenses. “É exatamente por isso que questionam sobre projetos que estão sendo executados sem a devida participação dos afetados. Muito se cobra da sociedade e não a satisfaz efetivamente com a gestão deste dinheiro”, declarou.

Outro ponto criticado pelo vereador em seu primeiro discurso após o recesso foi o aumento dos tributos, considerados por ele, abusivos, como por exemplo o aumento de 75% na Taxa de Coleta de Lixo. “É necessário questionar esses tributos e não aceitar que verbas significativas sejam gastas dessa maneira” lembrou Geo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.