Da Redação JM Notícia

 

Através de um artigo postado em seu blog, o pastor Renato Vargens comenta um assunto que poucos pastores têm coragem de falar: a violência doméstica.

De acordo com Sônia Regina Maurelli, diretora da Casa Isabel, 90% das mulheres vítimas da violência doméstica são evangélicas. Esses dados assustadores mostram que muitas mulheres procuram as igrejas para tentarem mudar um problema que deveria ser levado para a Polícia.

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói (RJ)

“Como todos sabemos, muitas destas mulheres continuam se sujeitando a este tipo de relacionamento, fundamentado na premissa de que Deus odeia o divórcio (o que é verdade), e com isso acentuando distúrbios psicológicos, neurológicos e físicos em sua própria vida e filhos”, declarou o pastor.

No entendimento de Renato Vargens, a mulher pode sim pedir o divórcio do marido agressor. “O Apóstolo Paulo em I Co 7:10-15 afirma que o cônjuge cristão PODE se divorciar deste que o seu marido incrédulo abandone o lar. Isto posto, acredito piamente que maridos que batem em suas esposas, há muito abandonaram seus lares, dando as suas mulheres condições de divorciaram dos agressores.”

VEJA TAMBÉM
AD Catedral da Missão em Palmas terá a 1ª Cruzada Evangelística

E não é uma regra apenas para esposas de maridos não crentes, mas também para os crentes que agridem suas esposas. “O fato de alguns destes afirmarem ser cristãos, não os torna efetivamente crentes, até porque, os que agridem suas esposas, legitimam de que na verdade nunca conheceram a Cristo.” Leia na íntegra.

 

Augustus Nicodemos também apoia o divórcio em casos de violência

Respondendo o mesmo questionamento em seu canal no Youtube, o reverendo presbiteriano Augustus Nicodemus Lopes falo à luz da Palavra sobre este tema tão delicado e que muitas vezes é negligenciado pelas igrejas.

“O casamento é o padrão de Deus para a raça humana, mas há exceções”, declarou o pastor. “O plano de Deus é que esta união fosse eterna, até que a morte os separe”, ponderou ele lembrando que a entrada do pecado no mundo trouxe separação.

“O pecado trouxe efeitos devastadores para o casamento”, disse ele, citando traições, deslealdade e até mesmo as agressões.

“O divórcio é mostrado como uma concessão de Deus por causa da dureza do nosso coração”, completou ele. Diante dessa realidade, a palavra de Deus permite o divórcio no caso de adultério e abandono.

VEJA TAMBÉM
Segunda Igreja Batista em Palmas promove a Conferência Crescer 2017

A violência doméstica é caracterizada como abandono por muitos pastores e assim como Renato Vargens, Nicodemus considera sim a violência como o abandono, o que validaria o divórcio. “A agressão é uma expressão do abandono”.

Mas além do pedido de divórcio, a mulheres também devem procurar a justiça, pois a agressão é crime.

Ouça:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.