Nesta quinta-feira, 3, o vereador Milton Neris (PP) acompanhou os comerciantes da Avenida Tocantins, ao Fórum da Capital buscando uma resposta do Juiz sobre o processo que corre contra as obras do Shopping a Céu Aberto, em Taquaralto.

De acordo com Milton Neris, a Prefeitura proibiu a veiculação de caminhões nas ruas prejudicando a descarga de mercadorias dos comércios. “Os comerciantes pedem apenas que o prefeito suspenda e reveja as obras temporariamente, já que até então não foi apresentado projeto algum”, relata.

O processo judicial foi encaminhado dia 18 de julho, ao Juiz Ronicley Alves da 4° Vara da Fazenda solicitando liminar para pausar as obras e apresentar o projeto, que por lei é obrigatório. A Prefeitura foi intimada com prazo de 72hs para expor o projeto e esclarecer sobre a obra.

A advogada que acompanha o caso, Dayanne Gomes, explica que a Prefeitura não apresentou nenhum projeto arquitetônico e agora mencionou nos esclarecimentos a criação de um Condomínio no Shopping a Céu Aberto, que será responsável por administrar a segurança e limpeza. “O Condomínio irá beneficiar as pessoas que pagarem, ou seja, um custo futuro para os comerciantes que tiverem na Avenida”, esclareceu.

VEJA TAMBÉM
Multidão comparece em peso no COMADEC nesta segunda; Silvan Santos ministrou

Empresária comenta

Solange Maria Borges, uma das empresarias impactadas com a implantação do Shopping a Céu Aberto foi uma das participantes da manifestação que aconteceu na manhã desta quinta-feira, 03.

Ao JM Notícia a empresaria Solange Maria Borges afirmou que o movimento tem o apoio popular, e não se trata de uma questão meramente política dos vereadores de oposição contra a administração municipal. “O projeto inegavelmente tem vícios, falhas e equívocos na sua concepção; não há nada que seja tão bom que não possa ser melhorado, mas o temor é que em vez de melhorar as vendas, piore”, disparou a comerciante.

“Os comerciantes pedem apenas que o prefeito suspenda e reveja as obras temporariamente, já que até então não foi apresentado projeto algum”, relata Milton Neris

Ainda de acordo com Solange, a proposta é cara e impactante e disse que a proposta não agrada a todos:

“é preciso humildade e bom senso por parte do prefeito Amastha. Projeto bom é aquele que agrada senão a todos, mas a maioria, e isto não está acontecendo. Essa radicalização por parte da Prefeitura só prejudica ainda mais a imagem do prefeito que quer usar mais esta obra como palanque eleitoral em 2018. Não quer ceder por vaidade, ego, por se achar auto-suficiente em tudo que vai realizar. Abaixo a prepotência”, disse Maria Borges.

VEJA TAMBÉM
Coligação de Cláudia Lelis emite nota contra atos de vandalismo praticados por militantes de Amastha

Custo

Com um custo orçado em R$ 17 milhões, o Shopping a Céu Aberto tem gerado uma série de reclamações por parte dos moradores e comerciantes da Avenida Tocantins em Taquaralto. Os moradores já entraram com uma ação na Justiça pedindo para que a obra seja embargada.

Manifestação

Comerciantes da Avenida Tocantins e de ruas próximas organizaram um protesto contra as obras do Shopping a Céu Aberto, em Palmas nesta quinta-feira 03. O projeto está sendo construído na região sul da capital, em Taquaralto. Cerca de 100 pessoas participaram da manifestação, eles fizeram uma passeata pela região.

A reclamação dos lojistas é que a obra está causando uma série de transtornos e que prejudicou o movimento no comércio. Outro ponto questionado por eles é a falta de estacionamentos no projeto, o canteiro central da avenida foi ampliado e o número de vagas para carros na avenida diminuiu bastante.

A prefeitura disse que vai fazer uma reunião com os comerciantes na próxima terça-feira (8), para esclarecer dúvidas sobre o projeto.