Da Redação

Após divulgação de pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Ibope e divulgada neste sábado (05), no Tocantins, onde aponta a suposta liderança da senadora Kátia Abreu (PMDB) ao Governo do Tocantins, o senador Ataídes Oliveira (PSDB), apresentou  requerimento para realização de audiência que será votado na próxima quarta-feira (09) na Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC).

De acordo com o senador Ataídes, os institutos têm falhado sistematicamente país afora e citou as pesquisas eleitorais de 2014:

“Os institutos de pesquisa têm falhado sistematicamente ao apontar candidatos favoritos país afora. O Ibope, por exemplo, errou dois terços dos resultados das eleições em 2014. O que está em jogo é a confiabilidade desse tipo de pesquisa”, alerta Ataídes.

Senador Ataídes Oliveira (PSDB) Foto: Agência Senado

O líder tucano ainda questiona quais são os graus de transparência das pesquisas eleitorais: “Como são elaboradas as perguntas e quem define as características demográficas do público entrevistado? Essas são algumas das perguntas que o presidente do PSDB/TO, senador Ataídes Oliveira, quer ver respondidas em audiência pública no Senado Federal.

VEJA TAMBÉM
Ataídes Oliveira ministrará palestra sobre corrupção

Manipulações

O senador tocantinense lembra que esse é um debate fundamental, uma vez que os resultados de pesquisas eleitorais têm influência enorme na decisão de eleitores. “Não raro, cidadãos utilizam os números apresentados pelas pesquisas para tomar decisões pragmáticas, tais como a escolha por um voto útil em detrimento de voto de princípios, ou ainda, a escolha de um candidato, entre dois, com mais potencial de enfrentamento de um terceiro”, observa ele, na justificativa do requerimento.

Outra preocupação é questionar se os tribunais eleitorais estão fiscalizando de maneira eficaz esse tipo de pesquisa, além de discutir iniciativas legislativas que possam torná-las mais transparentes e justas. “O que não podemos admitir, de forma alguma, são eventuais manipulações políticas ou o uso indevido de metodologias para favorecer um ou outro candidato”, destaca Ataídes.

Serão convidados para discutir o modelo usado nas pesquisas eleitorais os presidentes do Ibope, do Datafolha e da Serpes Pesquisa de Opinião e Mercado. Ataídes também quer ouvir o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, cientistas políticos e representantes do  Conselho Federal de Estatística.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.