Da Redação JM Notícia

 

Entre os dias 3 e 5 de agosto a Igreja Batista da Lagoinha realizou o Congresso Homens e Mulheres Diante do Trono 2017, um evento que reuniu milhares de casais de diversas partes do país. Na reunião do sábado, aconteceu uma mesa de debates com os casais Gustavo e Ana Paula Valadão Bessa, Larry e Devi Tutus e Jânio e Érica Sousa e eles debateram sobre o divórcio e o novo casamento.

Jânio passou por um divórcio e depois de alguns anos conheceu e se casou com Érica. Hoje eles ministram casais sobre o tema e alertam para os traumas deixados pelo divórcio.

Ana Paula conta então a história de uma mulher que se casou com um homem do altar e que sofreu agressões durante muitos anos, em silêncio, por achar que desagradaria a Deus se pedisse o divórcio do marido violento.

Ela só conseguiu romper o casamento quando descobriu diversas traições, o marido dormia com homens, mulheres e até menores de idade. Foi então que ela se separou e hoje está em um novo relacionamento, vivendo a plenitude que Deus tinha lhe reservado.

VEJA TAMBÉM
Wellington Camargo ignora críticas e se declara para namorada 26 anos mais nova

O divórcio e um novo casamento são tabus dentro das igrejas, inúmeros casais se mantêm juntos por conveniência e mulheres aceitam a violência caladas por medo de serem rejeitadas pelas famílias e pela igreja.

Ao falar como pastor, o pastor americano Lerry Titus explica que a Bíblia permite sim o divórcio de quem sofre violência, ensinando que quem está em uma situação de agressão tem permissão para cancelar o casamento.

“Paulo disse se a pessoa (cônjuge) for má, você não está amarrado à esta pessoa. Nós precisamos ficar de olho nisso, precisamos ser cuidadosos”, declarou citando o caso contado por Ana sobre o homem “do altar”, provavelmente um pastor ou músico, que agrediu e traiu sua esposa. “Você não deve ser escravo de uma pessoa má”.

Ana Paula declarou que realmente muitas igrejas colocam “julgo” em quem vive um casamento de agressão e violência e que dizem que não se pode se separar, que a pessoa deve suportar tudo isso. Ainda segundo ela, explicar que a violência e os maus tratos são casos aceitáveis biblicamente para pedir o divórcio traz um alívio para quem vive nessa situação.

VEJA TAMBÉM
Pastora Susie Valadão falece em Belo Horizonte

“Isso traz um bálsamo para homens e mulheres que sofreram com pessoas más”, declarou Ana Paula. “Existem pessoas doentes, psicóticas, que a alegria dela é humilhar o outro, é acabar com o outro com atitudes e palavras”, completou.

 

Assista a pregação completa:

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.