Da Redação JM Notícia

 

Uma das passagens mais famosas do Novo Testamento é a multiplicação dos pães e arqueólogos israelenses garantem que encontraram o local onde isso aconteceu.

Segundo o arqueólogo Mordejai Aviam, do Kinneret College, em Israel, a multiplicação aconteceu nos arredores do Mar da Galileia (Lago Tiberiades ou Kinneret) os restos de Betsaida (Julias). Nessa localidade, segundo a tradição cristã, viviam os apóstolos Pedro, André e Felipe.

“Encontramos o que parece ser a cidade dos três apóstolos, onde Jesus multiplicou os pães e os peixes”, afirmou o arqueólogo nesta segunda-feira (7) à Agência EFE. São três anos de pesquisa na região, vasculhando a Reserva Natural do Vale de Betsaida, nome dado hoje à localidade, para encontrar provas da multiplicação.

Arqueólogos israelenses encontraram nos arredores do Mar da Galileia, no norte de Israel, o local onde, de acordo com a tradição cristã, estiveram três dos apóstolos de Jesus./ Fonte UOL/EFE

Mais de 25 arqueólogos e voluntários trabalharam nesse estudo e encontraram diversos materiais, como uma capa do período das Cruzadas, uma feitoria de açúcar do século XIII, um mosteiro e o que parece ser uma igreja.

Restos do período bizantino foram encontramos dois metros debaixo do solo, uma época que por muito tempo acharam que seria impossível encontrar qualquer vestígio.

VEJA TAMBÉM
ONU aprova fim de novos assentamentos na Palestina pelos israelense

“Existem moedas, cerâmica, um mosaico, paredes e um banheiro de estilo romano, o que nos leva a crer que não se tratava simplesmente de um povoado, mas de uma grande cidade romana”, afirmou Aviam.

O arqueólogo tem convicção de que o material encontrado demonstra que ali estiveram milhões de cristãos que viram o milagre acontecer. O historiador Flávio Josefo explicou em seus textos que a cidade de Betsadia e explicou que o rei judeu Filipe, o Tetrarca, a transformou a vila de pesquisas em uma autêntica cidade romana.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.