Da Redação JM Notícia

A Proposta de Emenda à Constituição 306/2017, de autoria do deputado Hildo Rocha que insere na Constituição Federal os cargos de Senador, Governador, Vice-Governador e Ministro das Relações Exteriores no rol de cargos privativos de brasileiros natos, pode afetar, se for aprovada, além do prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), o prefeito de Betim (MG), Vittorio Medioli (PHS), favorito na corrida sucessória ao Governo de Minas Gerais.

Vittorio Medioli (PHS), nasceu em Parma, na Itália, veio para o Brasil em 1976 a convite da Fiat e é considerado atualmente o prefeito mais rico do Brasil. Sua fortuna é de pouco mais de 350 milhões de reais, quase o dobro dos 180 milhões declarados pelo prefeito de São Paulo, João Doria.

De origem Italiana, prefeito de Betim (MG) é favorito ao Governo de Minas

Dono do Grupo Sada, que vai da siderurgia a um time de vôlei, passando por autopeças e uma editora, ele faturou R$ 3,2 bilhões em 2016. O italiano naturalizado brasileiro, que ainda guarda o sotaque de Parma, chegou a Betim aos 25 anos para prestar serviços de logística à fábrica da Fiat instalada na cidade. Hoje, um total de 40% da logística de automóveis no país é feita pelo Grupo Sada.

VEJA TAMBÉM
“Plano de Governo do PV para Palmas está sendo construído pelos palmenses”, diz Cláudia Lelis

Na última eleição,  Medioli (PHS), para se eleger gastou R$ 4,48 milhões e obteve 119.750 votos, o que corresponde a 61,64 %.

Governo 2018

De acordo com informações do Jornal Poder em Foco, o nome do empresário e prefeito de Betim, Vittorio Medioli (PHS), vem ganhando forças como candidato a governador de Minas Gerais nas eleições de 2018, inclusive Medioli já tem o compromisso do governador Pimentel de que será o nome apoiado pelo seu grupo político caso ele tenha impedimentos jurídicos ou sérios desgastes de imagem que minimizariam suas chances de vitória no pleito.

Apesar de ser um dos favoritos ao Governo de Minas, a tramitação da PEC  306/2017, de autoria do deputado Hildo Rocha, pode barrar o projeto de  Vittorio Medioli (PHS). Adversários de Medioli (PHS), na Câmara dos Deputados estão trabalhando pela aprovação da PEC, que torna o cargo de Governador privativo de brasileiro nato.

Segundo fonte do JM Notícia em Brasília, há deputados mineiros trabalhando pela aprovação da PEC. Deputados do Tocantins, como Carlos Henrique Gaguim (Podemos), articula nos bastidores para que a PEC tenha agilidade na Casa e seja aprovada o quanto antes, ou seja, deputados mineiros e tocantinenses agora possuem  interesses em comum: aprovar a PEC 306/2017, que barra tanto Medioli (PHS) em Minas, como Amastha no Tocantins.

VEJA TAMBÉM
Bastidores: Senadora Kátia Abreu trabalha com dois cenários para 2018

Ao JM Notícia, a secretaria de Governo do prefeito Medioli (PHS), afirmou na manhã desta quinta-feira, 10, que o prefeito descartou disputar o governo em 2018, mas admitiu que hoje, ele é o segundo colocado em todas as pesquisas de intenções de voto ao Governo de Minas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.