De acordo com informações da agência de notícias AFP, pelo menos 16 pessoas morreram entre a sexta e o sábado, no Quênia, mas a Comissão Nacional de Direitos Humanos do país afirmou que 24 pessoas foram mortas a tiros durante os protestos contra os resultados das eleições de 8 de agosto. Colaboradores da Portas Abertas pediram orações por todos os cristãos quenianos, especialmente por aqueles que moram nas regiões Nordeste e Costeira, onde podem haver ataques oportunistas durante esse período de conflitos.

Os números das comissões eleitorais mostram que quase 80% dos 19 milhões de eleitores registrados emitiram suas cédulas. O presidente Uhuru Kenyatta garantiu um segundo mandato como presidente, ganhando 54,3% dos votos. Seus apoiadores estavam festejando, enquanto os partidários de Odinga protestaram em peso na capital e região Oeste.

Os protestantes alegam que houve fraude. A situação da igreja no país já era delicada. grupo extremista islâmico Al-Shabaab está sempre em ação e deixa claro seu objetivo de “limpar a nação” nos aspectos étnicos e religiosos. Um dos incidentes mais marcantes nessa nação foi a morte das 147 estudantes durante um ataque à Universidade de Garissa, em 2015. A maioria da população é cristã, mas os jihadistas lutam para mudar as estatísticas. Ore pela Igreja Perseguida no Quênia. Com informações Portas Abertas

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.