Da Redação JM Notícia

O valor do salário mínimo 2018 tem gerado muita polêmica nas redes sociais, pois o governo sancionou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o valor de R$979, mas dias depois resolveu diminuir em dez reais o valor do salário mínimo.

Muitas pessoas, sem entender, começaram a divulgar que o governo reduziria o valor do salário mínimo atual, o que não é verdade, aumentando o descontentamento com o governo de Michel Temer.

Para esclarecer e evitar novas críticas, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, gravou um vídeo para dizer que o valor do salário mínimo 2018 só será conhecido em dezembro, quando divulgarem a taxa da inflação deste ano.

“O que está valendo hoje para 2017 é o salário mínimo de R$ 937 e para 2018 vale o que está na lei, ou seja, o salário mínimo será reajustado pela inflação. Mas o valor definitivo só será conhecido em dezembro, quando teremos um número mais preciso sobre a inflação de 2017”, declarou o ministro.

O reajuste do salário mínimo é calculado através de uma fórmula que soma a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, calculado pelo IBGE; e o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

VEJA TAMBÉM
Temer e Maia planejam trocas no ministério para aprovar a Reforma da Previdência

Porém, por conta da retração de 2016, só será levado em conta a variação do INPC de 2017. Por conta disto, a correção do salário mínimo deve ser menor em 2018, o que pode desagradar a muitos trabalhadores que esperam um aumento maior.

A estimativa é que o valor seja de R$ 969, o que seria apenas 32 reais de aumento em relação ao salário mínimo vigente. O valor menor, segundo o governo, permitiria uma economia de r$ 3 bilhões ao governo no ano que vem.

Vale lembrar que, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o valor do salário mínimo no Brasil deveria ser de R$ 3.810,36. Este valor seria o necessário para suprir as despesas de uma família de quatro pessoas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

 

Assista ao vídeo do Ministro do Planejamento:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.