Da Redação JM Notícia

Um adolescente de 17 anos será indenizado em R$ 100 mil por ter trabalhado nos últimos três anos para a Igreja Mundial do Poder de Deus de João Pessoa, na Paraíba. Segundo o site Paraíba Online, o adolescente fazia tudo na igreja, desde limpar banheiro, organizar o salão, fazer faxina, pregar e ainda arrecadar o dinheiro das ofertas.

O jovem declarou que chegava na igreja às 7h da manhã e encerrava os trabalhos às 23h. Sobrecarregado, ele deixou de estudar, passou a morar na igreja e só podia ver seus pais com autorização do pastor.

Na denúncia o adolescente declarou ainda que era punido quando a arrecadação da igreja não batia a meta estabelecida. “Éramos obrigados a arrecadar um certo valor e se isso não acontecesse éramos reduzidos a voltar à sede, onde começava as punições como arrumar cadeiras de manhã e de noite, fazer faxina, lavar banheiro”, declarou.

Como prova de que era explorado na igreja, o jovem conseguiu gravar um áudio e diante do que ouviu, o Ministério Público do Trabalho da Paraíba identificou o caso como exploração de trabalho infantil.

VEJA TAMBÉM
Pastor que pisou em bandeira gay será vetado no maior evento evangélico do Chile

“Existem outros inquéritos abertos porque a sociedade tem denunciado algumas igrejas e entidades sem fins lucrativos, que tem colocado crianças e adolescentes para ações como vender água no semáforo, espalhar panfletos nas ruas e isso é trabalho proibido por força da Constituição da República”, declarou o procurador do Ministério do Trabalho, Eduardo Varandas, ao dizer que este não é um caso isolado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.