Da Redação JM Notícia

O pastor Givanildo Borges está foragido

Um pastor da Igreja Mundial do Poder de Deus da cidade de Cubatão, litoral de São Paulo, está sendo acusado de chefiar uma quadrilha que assaltava igrejas na região.

Identificado como pastor Givanildo Borges, o homem agia sempre da mesma forma: era convidado a pregar em uma igreja, no fim da celebração, quando várias pessoas já tinham ido embora, ele pedia para fazer uma bênção e verificava detalhes do local, incluindo onde o dízimo era guardado.

Do lado de fora, seus comparsas armados aguardavam em um carro esperando o momento certo para agir. Borges, então, saía da igreja e informa o grupo que entrava e concluía o roubo.

Segundo o jornal O Dia, os bandidos rendiam quem estivesse no local, recolhiam o dinheiro das ofertas, smartphones e outros pertences dos fiéis, além de aparelhos de som e instrumentos musicais dos templos.

Nos últimos quatro meses foram nove roubos em templos evangélicos, comércios e residências da região, nem mesmo a sede da Igreja Mundial do Poder de Deus da qual Givanildo Borges fazia parte, na Vila dos Pescadores, foi poupada da ação dos criminosos.

VEJA TAMBÉM
Colinas do Tocantins sediará a Primeira Conferência Até Sermos Um

Entre as igrejas roubadas estavam cinco unidades da Igreja Universal do Reino de Deus, entre abril e maio, em Santos, Mongaguá, Peruíbe, Guarujá e em Cubatão, todas no litoral paulista, além São Roque, no interior.

A polícia só conseguiu fazer uma ligação entre os crimes com a prisão de Felipe Marcolino dos Santos, o Vovô; Roberth Lincoln Barroso Oliveira, o Chuchu, e Guilherme Augusto da Silva Júnior, o Didi, único que permanece na cadeia. O pastor está foragido.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.