Da Redação JM Notícia

O município de Mateiros sediará uma discussão sobre a ampliação da divisa entre o Tocantins e a Bahia. A audiência pública está marcada para acontecer em Panambi no dia 16 de setembro. O encontro é uma proposta do deputado Valdemar Júnior (PMDB) apresentada nesta segunda-feira (28) durante reunião com representantes do Governo do Estado.

Compareceram à reunião representantes do Instituto de Terras do Tocantins (Itertins), Procuradoria Geral do Estado, Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria Estadual do Planejamento, além de um diretor da Energisa.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Carlesse (PHS), também participou do encontro e garantiu o apoio necessário à realização da audiência pública.

O deputado Valdemar explicou que a divisão atual, feita em 2014 pelo Supremo Tribunal Federal (STF), definiu que Panambi pertence à Bahia, encerrando a disputa entre Piauí, Tocantins, Bahia e Goiás.

Todavia, os serviços públicos do distrito como energia elétrica, educação e saúde são oferecidos pelo Tocantins. Fora isso, os moradores desejam pertencer ao lado tocantinense.

“A reunião de hoje foi preparatória para a audiência pública, na qual ouviremos a população. Mas vamos fazer todo o possível, política e juridicamente, para garantir o desejo daqueles moradores, que é de permanecer no Tocantins”, explicou Valdemar.

VEJA TAMBÉM
Barbiero solicita que Estado prorrogue isenção de ICMS da piscicultura por 10 anos

Antes da audiência do dia 16, acontecerá uma reunião entre representantes do Executivo estadual e deputados. Neste encontro, marcado para o dia 4 de setembro, técnicos do Governo detalharão aos parlamentares todas as questões técnicas e jurídicas sobre a polêmica em torno da divisa.

Ao reafirmar apoio para a realização da audiência pública, Carlesse destacou a necessidade da discussão, no sentido de por fim ao impasse. “Esse problema precisa ser resolvido, pois gera insegurança para os moradores e produtores daquela região. Pelas informações que temos, eles querem ficar no Tocantins, então isso precisa ser resolvido o quanto antes”, defendeu.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.