Da Redação JM Notícia

Imagem meramente ilustrativa

A adoção de uma menina cristã tem gerado polêmica na Inglaterra. Com apenas 5 anos, uma pequena – que mantém contato com a mãe natural – revelou o que sofreu nas duas casas por onde passou.

As duas famílias muçulmanas que adotaram a pequena não falam inglês e se mostraram intolerantes com a fé da menina. Uma delas arrancou o crucifixo que ela levava, e ambas a obrigaram a tapar o rosto para sair na rua.

Em conversa com a sua mãe biológica, a menina chegou a dizer que “o Natal é estúpido” e relevou também que era proibida de comer carne de porco e que começou a aprender árabe.

Diante da repercussão negativa do caso, uma juíza – também muçulmana – resolveu conceder a guarda da criança à avó. Na decisão, a juíza Khatun Sapnara declarou que a menina deve ficar com sua família onde poderá ser mantida em segurança, e dar a ela tudo o que ela precisa “em termos de etnicidade, cultura e religião”.

Os jornais The Tegraph e The Times noticiaram o caso e o primeiro deles lembrou dos procedimentos de adoração do Reino Unido onde as autoridades locais devem considerar os fundamentos religiosos, raciais, culturais e linguísticos ao promover decisões.

VEJA TAMBÉM
Sudão quer erradicar o cristianismo no país

Enquanto o representante do Conselho de Tower Hamlets, alega que a menina foi dada a casais muçulmanos por falta de casais ingleses interessados em adoção da região, o The Times mostrou que 88% dos casais que se listam para acolher crianças são brancos, invalidando a declaração do conselheiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.