Em cerimônia de abertura de Assembleia Conjunta do Conselho Federal de Odontologia (CFO) e de Conselhos Regionais de Odontologia (CRO), o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, frisou o potencial de Palmas como destino do turismo de negócios e como o município tem buscado visibilidade à vocação ao fomento de demanda por serviços de saúde na área privada. O evento acontece no Hotel Girassol Plaza.

Estamos recebendo representantes de todos os estados brasileiros, é exatamente este potencial que a queremos explorar. Ter todos os conselhos regionais de odontologia, além do conselho federal, em Palmas demonstra que estamos certos em apontar para este turismo de negócios. A gente percebe nas palavras e nos olhares o encantamento com a cidade, que é maravilhosa. Estamos cuidando da cidade para receber mais visitantes, já estão falando em um novo evento internacional com mais de 1.200 participantes que será em outubro do próximo ano e que vai ter todo o apoio da prefeitura”, frisou Amastha.

O encontro reúne conselheiros e profissionais do ramo de todos os 26 estados brasileiros e Distrito Federal (DF) que discutem o fortalecimento da odontologia. Anfitrião do encontro, o presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO), Juliano do Vale, ressaltou que o encontro regimental é também uma oportunidade para discutir a ligação do profissional de odontologia com a sociedade esteja ele na iniciativa privada ou no poder público. Ele ainda ressaltou o potencial promissor de atuação de odontólogos em Palmas. “Palmas é hoje tem um mercado promissor. Temos aqui faculdades de odontologia e o que a gente percebe que no Tocantins e, em especial, em Palmas os profissionais ainda gozam de uma boa reputação e  de uma remuneração e é fundamental expandir isso e tentar mostrar ao Brasil que a valorização profissional é o caminho”, frisou o presidente do CFO.

VEJA TAMBÉM
Região Sul é contemplada com unidade do Resolve Palmas e ganha acesso rápido a mais de 200 serviços

Atuam na Capital, segundo o Sindicato dos Cirurgiões Dentistas do Tocantins (Sicideto), cerca de 600 profissionais. “Temos duas faculdades de odontologia, número de profissionais crescente, é um mercado aberto tanto no setor público e privado. Temos hoje vários institutos e associações que promovem capacitações e especializações em odontologia. Existe um campo grande para crescer e ampliar os postos de trabalho”, frisou o presidente do Sicideto, Ricardo Camolesi.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.