Da Redação JM Notícia

O pastor Silas Malafaia deu uma entrevista à revista Época e falou sobre sua decisão de não se encontrar mais o presidente Michel Temer por conta das denúncias que o ligam ao esquema de corrupção.

“Até a pessoa ser denunciada, eu a encontro publicamente. Depois, ela que responda por seus atos. Não vou me comprometer. Oro pelo Brasil. Não preciso nem vou lá [Palácio do Planalto]. Agora eu quero é distância”, declarou o pastor.

Desde maio, quando as gravações feitas por Joesley Batista foram divulgadas o líder evangélico tem evitado encontros com o presidente. Na época, Malafaia até sugeriu que Temer renunciasse.

“Como um presidente da República recebe na calada da noite um sujeito investigado até o talo e ainda assente com crimes confessos? Temer não tem condição de continuar. Ele não é nenhum inocente, alguém que começou ontem. Tem que renunciar!”, escreveu o pastor na época.

Entre os líderes religiosos, Malafaia é, sem dúvida, um dos que mais se manifestam sobre questões políticas, mostrando seu favor ou descontentamento com eleitos ou com candidatos.

VEJA TAMBÉM
Em manifestação, Malafaia critica PT e diz que o povo vai colocar "essa cambada pra fora"

Para as eleições de 2018, tudo indica que o pastor irá apoiar a candidatura de João Doria, atual prefeito de São Paulo pelo PSDB. Ainda que Doria negue interesse na Presidência.

Malafaia também tem se posicionado contra a candidatura de Jair Bolsonaro, deputado que já foi amigo pessoal do pastor e que agora tem recebido críticas duras quanto à sua postura como candidato de direita.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.