Da Redação JM Notícia

O senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) foi convidado pelo presidente Michel Temer para participar da comitiva presidencial que irá acompanhar a assinatura do contrato das obras da Ponte de Xambioá que irá acontecer nesta quinta-feira (14).

Além do presidente da República, a solenidade contará também com a presença do ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella (PR) e do governador Marcelo Miranda.

A ponte fará a ligação entre as cidades de Xambioá (TO) e São Geraldo (PA) sobre as águas do rio Araguaia, sendo uma obra importante para a região. Serão 1.724 metros de extensão, interligando as malhas viárias do Tocantins e do Pará. Atualmente, a travessia é realizada por balsas.

Orçada em R$ 280 milhões, as obras tiveram um atraso por conta de uma judicialização do processo licitatório por parte de um dos consórcios concorrentes. Porém, após atuação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, com o apoio da bancada federal, foi obtida a autorização para o lançamento.

Os recursos para a construção da Ponte de Xambioá vieram de emendas impositivas da bancada tocantinense, composta por três senadores e oito deputados federais.

VEJA TAMBÉM
Câmara vota segunda denúncia contra Temer nesta semana

Para o senador Ataídes Oliveira, a construção da ponte sobre o rio Araguaia é extremamente importante para o acesso das pessoas que trabalham em Xambioá, mas vivem em São Geraldo, no Pará.

“Eu não tenho dúvidas de que essa obra vai ajudar esses trabalhadores que precisam de um acesso mais rápido para ir ao trabalho e retornar para suas casas. Além do mais, a ponte é uma conquista para quem viaja frequentemente para o Pará e não precisará mais perder em torno de uma hora do seu tempo na travessia”, comentou Ataides.

O senador comentou também que a ponte facilitará o escoamento da produção local e regional, estimulando a economia e alavancando o desenvolvimento regional.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.