Da Redação JM Notícia

Durante entrevista ao programa “Superpop” desta quarta-feira (13), a cantora Simony relembrou os momentos difíceis de sua vida que a levaram a frequentar uma igreja evangélica.

Simony teve síndrome do pânico, sofria com um medo inexplicável que a impedia de fazer as coisas mais corriqueiras como dormir sozinha.

“Eu tive há muito tempo, desencadeou quando meu tio faleceu. Eu desmaiei no velório e quando acordei não era a mesma pessoa”, relembrou.

“Meu braço formigava muito, achava que teria um ataque, a visão ficava turva e tinha medo da morte. Dormia com minha mãe segurando minha mão, eu dizia: ‘se você ver que estou morrendo, me puxa”, completou.

A cantora, hoje com 41 anos, se recorda do ponto alto da doença, quando ela deixou o carro ligado dentro de um túnel e saiu correndo. “Cheguei no grau mais alto da síndrome do pânico”.

Foi então que ela procurou ajuda na religião para se livrar da doença. “Comecei a frequentar a igreja evangélica, a fazer muitas orações, queria que orassem por mim. Pedi muito a Deus, dizia ‘eu preciso trabalhar, eu gosto do que faço, preciso fazer show’. Deus me deu muitas coisas lindas, acredito e tenho certeza de que foi um milagre”, declarou.

VEJA TAMBÉM
Regis Danese testemunha cura de sua filha em programa na TV

Hoje, quando algo parece estar errado e quer trazer medo, Simony se posiciona impedindo o sentimento de dominá-la. “Nunca mais tive nada e, quando me dá um negócio, digo ‘aqui a porta está fechada, você não entra mais'”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.