Da Redação JM Notícia – Ricardo Costa

O prefeito destacou que seu compromisso no momento é com Palmas, uma vez que a população lhe confiou mais um mandato e que quer honrar os votos dados pelos palmenses.

Neste domingo (17) o Partido Socialista Brasileiro (PSB) do Tocantins realizou o Congresso Estadual reunindo lideranças e filiados do partido na Assembleia Legislativa.

O evento teve foco nas eleições de 2018, com os aliados apoiando Amastha para concorrer ao cargo de governador do Estado, hoje ocupado pelo governador Marcelo Miranda.

Entre os correligionários que apoiam que o prefeito renuncie para poder concorrer ao Governo está o vereador Major Negreiros que declarou: “Em 2018 é Amastha governador”.

O deputado estadual Alan Barbiero (PSB), também se mostrou a favor dessa candidatura. “O Estado aguarda o ano de 2018 porque será o ano que escreveremos uma nova página na nossa história, derrotando duas oligarquias que comandam o Estado desde o começo”.

Apesar dessas e outras demonstrações de apoio, o prefeito Amastha se mostrou na ocasião, cauteloso em confirmar que será candidato. “Hoje não é dia de falar de candidatura, é dia do congresso do nosso partido. Dia de ressaltarmos o orgulho de fazer política de forma diferente”, declarou.

O presidente nacional do partido, Carlos Siqueira, declarou com todas as letras que Amastha será o candidato ao cargo: “Vim aqui pessoalmente para lançar a pré-candidaturas de Amastha como governador. Sua eleição é uma prioridade para o nosso partido”.

PEC Amastha
A PEC 3
06/2017 que poderia atrapalhar candidatura ao Governo do coloMbiano, Carlos Amastha, ao que parece não é mais um problema.

Segundo informações obtidas pelo JM Notícia, a PEC está parada em em Brasília, pois a prioridade da Câmara neste momento, é aprovação da reforma política.

Kátia Abreu – A senadora trabalha para fortalecer o seu nome ao governo do Tocantins, no entanto, enfrenta fortes resistências no meio político, sem grupo, se torna inviável lançar uma candidatura ao Governo. Kátia sondou Siqueira Campos, que já foi traído por ela em outra ocasião, mas, Siqueira Campos não sinalizou composição.

Sem grupo político, a senadora se reaproximou do prefeito Amastha e selaram uma aliança para 2018, ou seja, o melhor colocado nas intenções de votos, será o nome do grupo.

Kátia sabe que vai enfrentar dificuldades para crescer nas pesquisas, ou melhor, sabe que pode não ser o nome do grupo e vai tentar a todo custo emplacar o filho, Irajá Abreu ao Senado, conforme noticiado no JM notícia em outras ocasiões.

Siqueira e Marcelo Miranda

Enquanto Amastha se movimenta rumo ao Palácio Araguaia, se torna mais visível a reaproximação entre o governador Marcelo Miranda e o ex-governador Siqueira Campos, pré-candidato ao Senado em 2018.

Marcelo e Siqueira se alinham para andarem juntos em 2018.

No último aniversário do ex-governador Siqueira Campos, estavam presentes os principais interlocutores do governador Marcelo Miranda, entre eles, o secretário-chefe da Casa Civil, Dr. Télio Ayres. Outra demonstração de aproximação entre os Mirandas e os Siqueira, é o recuo em uma oposição sistemática ao Governo do Estado, pelo deputado Eduardo Siqueira Campos (DEM); alías, em algumas votações na Assembleia, Eduardo Siqueira Campos tem votado com os governistas e realizado, inclusive, discursos pró-governo.

Em sua primeira eleição ao governo do Tocantins em 2002, Marcelo Miranda foi eleito com apoio do ex-governador Siqueira Campos, posteriormente, vindo a rachar com o grupo de Siqueira. Em 2006, Siqueira tentou o quarto mandato, mas perdeu a eleição para o governador Marcelo Miranda (PMDB), seu ex-aliado.

Disputa

A disputa pelo comando do Palácio em 2018, pode ficar entre Marcelo Miranda e o prefeito Carlos Amastha. Quem também está na disputa pelo Governo do Tocantins, é o senador Ataídes Oliveira, o presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Carlesse, e o ex-juiz, Marlon Reis.

COMPARTILHAR

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.