Da Redação JM Notícia

A Nigéria enfrenta nos últimos anos uma guerra sangrenta causada pelo grupo terrorista Boko Haram que tenta implantar a sharia no país, a lei islâmica mais severa que existe.

A Aleteia, agência de notícias cristãs, publicou um depoimento comovente de um homem de 30 anos que foi soldado do Boko Haram, mas que se arrependeu dos crimes cometidos e resolveu sair do grupo.

Segundo o relato, Bana Umar resolveu mudar de vida quando ouviu na rádio o terror que o grupo estava espalhando e ficou decidido a largar a vida de soldado extremista.

“Sei que tudo o que fizemos foi o inferno, estávamos matando. Estávamos roubando. Estávamos tirando os bens das pessoas por causa da religião. Finalmente eu saí”, declarou.

A publicação lembra que os cristãos são os principais alvos dos terroristas, pois pela sharia os “infiéis” devem ser mortos. Nos últimos seis anos, várias igrejas foram atacadas, milhares de cristãos foram mortos e muitos outros sequestrados e levados como escravos, principalmente as mulheres e crianças que são usadas como escravas sexuais.

VEJA TAMBÉM
Cristãos líbios perseveram em meio a instabilidade política e perseguição religiosa

Um dos principais casos de sequestro de meninas aconteceu em 2014 quando 276 estudantes de Chibok foram levadas pelos terroristas. Muitas foram liberadas, algumas grávidas dos terroristas, e outras continuam em posse dos jihadistas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.