Da Redação JM Notícia

Representantes da Bancada Evangélica cobraram a posição do presidente que voltou atrás sobre o voto dado na ONU

Durante a Revisão Periódica Universal do Conselho de Direitos Humanos da ONU o Brasil rejeitou a recomendação do Vaticano que pedia a proteção dos nascituros e da família formada por marido e mulher.

Diante disto, deputados da Bancada Evangélica se reuniram no Palácio do Planalto para pedir a revisão de tal decisão, forçando o governo a voltar atrás.

Pelo telefone, o presidente Michel Temer conversou com líder do PSC na Câmara, deputado Victório Galli (PSC-MT), se comprometendo a aceitar a recomendação do Vaticano.

“Com muita alegria, aviso que o presidente da República vai atender nosso pedido e proteger os bebês não nascidos e o casamento tradicional, assim como recomenda o Vaticano”, comemorou o líder Victório Galli.

A proteção do nascituro é pauta atual na Câmara, onde tramita um projeto que declara que a vida deve ser protegida desde sua concepção. Ao mesmo tempo, tramita outro projeto, chamado de Estatuto da Família que visa proteger a família tradicional.

Na ONU, o Ministro Aloysio Nunes foi contra as recomendações de proteger o bebê ainda no ventre da mãe e contra a defesa da família formada por um homem e uma mulher, mas a pedido de Temer, o Brasil irá mudar seu posicionamento.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.