Da Redação JM Notícia

Nos últimos dias a imprensa não parou de noticiar que um juiz “determinou que homossexualidade é doença e autorizou o tratamento de cura gay”.  Na verdade o caso se trata de uma decisão sobre um pedido de psicólogos que tentaram anular uma resolução do Conselho Federal de Psicologia que impede a atuação dos psicólogos em relação a orientação sexual.

Para esclarecer a população, o Conselho de Psicólogos Cristãos emitiu uma nota falando sobre o caso e atestando que não há “cura gay”, mas sim o desejo de liberdade científica e do livre exercício da profissão.

Nessa nota, os profissionais explicam que o Juiz de Direito Federal, Dr. Waldemar Claudio de Carvalho, concedeu, parcialmente, a solicitação do grupo de psicólogos, para que o CFP não impeça e não puna os profissionais que atenderem pacientes em sofrimentos por orientação sexual egodistônica.

“A referida resolução afronta dispositivos constitucionais, causando prejuízos aos direitos individuais e coletivos, em razão do freio que ela impôs ao desenvolvimento científico, por ser este um patrimônio público, protegido pelo Estado”, diz o Conselho.

VEJA TAMBÉM
Pastor que pisou em bandeira gay será vetado no maior evento evangélico do Chile

O advogado do grupo entrou com um pedido na OAB Nacional para resguardar a liberdade científica, o livre exercício da profissão, o direito do consumidor e a preservação do patrimônio público.

Conselho promete ação contra informações distorcidas

Ainda segundo a nota, medidas judiciais serão tomadas quanto à disseminação de informações distorcidas, contrárias aos intentos dos profissionais que moveram a ação.

Também serão tomadas medidas judiciais no que diz respeito à ofensa a moral e a dignidade dos autores da ação popular.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.