Da Redação JM Notícia

Nesta sexta-feira (22) o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), apresentou uma proposta para o pagamento da data-base, das progressões e retroativos dos professores municipais que estão em greve desde o dia 5 de setembro.

Nessa proposta, os retroativos referentes ao período de concessão da data-base, isto é, cuja referência é o mês de janeiro, serão pagos até o mês de abril de 2018, segundo o prefeito. “A data-base de todos os funcionários dessa cidade serão pagas até dezembro. Esta é a única capital que pode cumprir o compromisso graças as medidas de contenção de despesas. Até o final de abril estaremos pagando retroativo, e ninguém ficará com qualquer direito atrasado”, declarou.

A data-base será paga de forma escalonada, onde os servidores que ganham de R$2 mil até R$3.500, terão sua data-base paga a partir deste mês de outubro. Já os servidores com salários de R$3.500 a R$5 mil, receberão a data-base a partir de novembro. Em dezembro será a vez do pagamento para aqueles que recebem acima de R$ 5 mil.

VEJA TAMBÉM
PRB realiza reunião de pré-lançamento de candidatura a vereador de Márcio Neres em Palmas

“Todo mundo vai receber a data-base até dia 31 de dezembro, independente das circunstâncias, mesmo que para isso eu tenha que fazer cortes de despesas e demissões. O que anunciamos hoje é compromisso”, afirmou Amastha.

Os retroativos referentes ao período de concessão da data-base, isto é, cuja referência é o mês de janeiro, serão pagos até o mês de abril de 2018, disse o prefeito

Quanto às progressões e titularidades, o prefeito declarou que o primeiro pagamento foi feito em agosto e se comprometeu em continuar depositando as parcelas. Amastha, porém, não aceitou retirar o corte de ponto, declarando que não poderá pagar os professores que não trabalharam nestes 18 dias de greve.

“Como a sociedade julgaria um prefeito que paga quem não trabalha. É uma responsabilidade com o dinheiro de todos nós. Como vamos pagar quem não está trabalhando?”, disse ele.

Sobre a eleição de diretores, o chefe do Executivo declarou que irá realizar a eleição. “A gestão já tem uma posição sobre isso. Não vamos fazer eleição de diretores para servir o sindicato, vamos fazer para servir a comunidade”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.