Da Redação JM notícia

Igreja Matriz da Assembleia de Deus Nação Madureira da 604 Sul, local onde foi instituído o jejum – foto: Ricardo Costa

Em Palmas, no Tocantins, o vice-presidente da Assembleia de Deus Nação Madureira, pastor Edmundo Duialibe instituiu para a igreja em que pastoreia na 604 Sul, jejum como regra, todas às quintas-feiras para os membros de sua igreja na capital.

De acordo com o pastor Duialibe, o jejum é um alimento espiritual, que ajuda o cristão a se aproximar mais de Deus, no entanto, tem sido deixado de lado:

“O jejum é uma arma que o cristão possui que é muito importante e tem sido deixada de lado de uma forma geral”, disse pastor Edmundo Duialibe, que afirmou durante entrevista ao JM notícia, que a Igreja Matriz em Palmas, irá iniciar um jejum pela Nação Brasileira nos próximos dias.”Será que vale um sacrifício pela nação? Vale, então vamos fazer”.

Jejum – Nação Madureira

Pastor Edmundo Duailibe, vice-presidente da Nação Madureira em Palmas

Ainda de acordo com o pastor Edmundo Duialibe, seria interessante que esse projeto fosse implantado em todo o campo da Nação Madureira em Palmas.

O jejum de Ester

Em um de seus  vários exemplos sobre o jejum, a Bíblia cita o de Ester.

O jejum de Ester foi um jejum de três dias que Ester e todos os judeus da cidade de Susã realizaram. Ela fez esse jejum para se preparar para salvar seu povo. Ester corria risco de vida mas, se não fizesse nada, todo seu povo iria morrer.

A história do jejum de Ester

Ester era uma jovem judia que se tornou rainha quando casou com Xerxes, o rei da Pérsia. Ela tinha um primo chamado Mardoqueu, que a tinha criado como filha quando seus pais morreram. Mas Ester não contou ao rei nem a ninguém que ela era judia (Ester 2:10).

Mardoqueu tinha um inimigo chamado Hamã, que era o príncipe mais poderoso da Pérsia. De tanto que odiava Mardoqueu, Hamã decidiu matar todos os judeus! Ele obteve o apoio do rei e passou um decreto para exterminar os judeus em uma data marcada.

Quando Mardoqueu ouviu sobre o decreto, ele enviou uma mensagem a Ester, pedindo que ela fosse falar com o rei, para impedir a matança. Mas Ester estava com medo porque ninguém podia se aproximar do rei em seus aposentos sem permissão e ele não estava muito interessado nela nessa altura (Ester 4:10-11). Se ela fosse lá, o rei poderia ordenar sua execução!

Por outro lado, se Ester não fosse, todo seu povo seria morto. E nada garantia que ela iria escapar (Ester 4:13-14). A escolha era difícil e qualquer decisão era perigosa. Por isso, Ester decidiu jejuar antes de ir falar com o rei.

Terminado o jejum, Ester falou com o rei e sua vida foi poupada. E mais: quando descobriu que era o povo de Ester que iria ser destruído, o rei mudou a situação. Um novo decreto foi escrito e, em vez de serem exterminados, os judeus mataram muitos de seus inimigos! Hamã também foi morto e Mardoqueu foi promovido pelo rei. Tudo terminou bem para Ester!

Como foi o jejum de Ester?

Quando decidiu jejuar, Ester convocou todos os judeus de sua cidade para se unirem a ela nesse propósito. Ester, suas criadas, Mardoqueu e todos os judeus de Susã passaram três dias sem comer nem beber nada (Ester 4:15-17).

COMPARTILHAR

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.
  • EDUARDO MARTINS

    Parabéns a Nação Madureira por essa iniciativa, porque realmente estamos precisando