Na tarde da última terça-feira, 26, o vereador professor Júnior Geo (PROS), participou de audiência pública realizada na Câmara Municipal de Palmas para tratar da prestação de contas do município relativas ao 2º quadrimestre de 2017.

Na ocasião, o vereador afirmou que os relatórios apresentados pela Secretaria Municipal de Finanças do Município não condizem com a posição do representante do Executivo que afirma não possuir saldo para honrar com os compromissos e pagamento dos direitos dos professores em função da realidade econômica do município.

Júnior Geo, ainda ressaltou que a gestão municipal em nenhum momento se propôs a dialogar com os professores e até o momento não apresentou nenhuma documentação garantindo as reivindicações da categoria. “Infelizmente os direitos dos professores e a educação não são prioridades para a gestão”, disse.

Suspensão da greve

Os professores municipais suspenderam na noite da última terça-feira, 26, o movimento grevista que durou 22 dias de paralisação. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), a greve foi interrompida momentaneamente para que medidas cabíveis em relação aos direitos dos professores sejam tomadas pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJTO).

VEJA TAMBÉM
Projetos de lei complementares do Executivo preocupam Júnior Geo

Segundo Geo, a greve é um ato legítimo e a paralisação não significa o fim do movimento e da luta. “Parabenizo os professores que lutam diariamente pela educação, que lutam por valorização e respeito”, destacou.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.