Da Redação JM Notícia

O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) criticou a reportagem do programa Fantástico do último domingo (24) sobre a polêmica decisão judicial que autoriza psicólogos a estudarem e a aplicarem terapia de reversão em homossexuais.

Chamada de pejorativamente de “cura gay”, o tema gerou grande polêmica e acabou trazendo críticas para a psicóloga Rosângela Alves Justino, autora do projeto. Ela atua como assessora parlamentar de Sóstenes.

Para o deputado, a reportagem do Fantástico foi tendenciosa por não falar que a decisão da Justiça visa o livre exercício da profissão de psicólogo, e não o tratamento de homossexuais.

“Uma assessora minha e mais 20 profissionais entraram com uma ação e ganharam a limitar, aí deu chilique no movimento LGBT e no Conselho de Psicologia que está lotado de esquerdistas”, declarou.

Na visão de Sóstenes, sua assessora foi escolhida para ser a acusada pela decisão do juiz, sendo que há outros 22 profissionais. “A matéria do Fantástico fala de psicólogos, mas nenhum psicólogo foi ouvido, só dois médicos. É uma matéria tendenciosa”.

VEJA TAMBÉM
Juiz federal analisa recurso e mantém decisão sobre "cura gay"

Diante da forma como a reportagem foi conduzida, o parlamentar resolver denunciar o que ele chama de “jornalismo horroroso” por ter compromisso político e ideológico com o movimento LGBT.

Outro dado levantado pelo deputado federal é que não são apenas os psicólogos cristãos que são contra a resolução 1 de 1999 do Conselho de Federal de Psicologia, ele cita um profissional ateu, ligado ao movimento político de esquerda que também é se coloca contrário a essa resolução.

Assista:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.