Na manhã desta terça-feira, 3, o vereador professor Júnior Geo (PROS) apresentou junto à Câmara Municipal de Palmas a alteração na resolução nº 112/06, que dispõe sobre o Regimento Interno da Casa de Leis. Em 2013, o vereador já havia solicitado a alteração da resolução propondo o desconto do subsídio mensal dos agentes políticos municipais, caso não fossem apresentadas justificativas de ausência em reuniões ordinárias ou extraordinárias.

A nova alteração da resolução, sugerida por Geo, propõe que o desconto salarial ocorra mesmo havendo a justificativa de falta dos parlamentares. “Esta mudança no Projeto define que as faltas sejam válidas apenas quando para atividade parlamentar”, afirmou.

Ainda durante a sessão ordinária, o vereador se referiu a uma reportagem publicada em destaque em um veículo da capital. A reportagem acusa Júnior Geo de utilizar a verba pública de forma indevida, associando a uma viagem pessoal, feita em família. Na ocasião, Geo utilizou a tribuna para esclarecer os equívocos e dar satisfação ao público que confiou o seu voto a ele.

“A viagem que realizei foi de cunho pessoal, como o tenho feito desde antes de ser vereador, pois tenho parentes no local”, destacou. Além disso, entende-se que em nada afeta a sua atividade parlamentar. Antes de se ausentar, o professor comunicou à Casa de Leis justificando o ato de ausência por motivos particulares, como pede o Regimento Interno.

Segundo o vereador, mesmo entendendo que respeitou a legislação, solicitou ao administrativo da Câmara que descontasse sua ausência, mas o ato não poderia ser feito por não haver nenhum motivo legal. “Eu calculei o valor referente aos dias de minha ausência e encaminhei aos professores cujo o ponto foi cortado pelo Executivo do município de Palmas para que fossem feitas aquisições de cestas básicas”, ressaltou.

“Fui eleito pelo respeito e pela história que minha família construiu neste Estado, e continuo ainda a trabalhar. O respeito que tenho para com aquele que creditou a mim a confiança maior que é o seu voto, continuo a ter, como se fosse o meu próprio voto. Eu não quero em momento nenhum ser ludibriado, ser enganado e muito menos enganar ninguém” destacou Geo.

Codap

“É de conhecimento público que o parlamentar tem o costume, desde o início do seu primeiro mandato, de não utilizar a verba indenizatória, Cota Despesa de Atividade Parlamentar (Codap), de forma integral, por entender que o dinheiro público deve ser bem administrado”.

“Em relação à verba de funcionamento do gabinete, ao contrário do que foi dito na referida reportagem, eu não fiz o uso dessa verba em sua totalidade. Na realidade, no mês de setembro, não foi utilizado nem a metade do valor disponível. Ainda ressalto que em minha ausência o gabinete continua funcionando aberto às demandas da sociedade”, afirmou o parlamentar. 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.