Da Redação JM Notícia

Em meio à onda de perseguição religiosa que os cristãos brasileiros começam a sentir com o avanço de propostas como a ideologia de gênero nas escolas, um deputado estadual do Ceará tem gerado polêmica por apresentar um projeto para tornar a Bíblia disponível em todas as escolas da rede pública. 

O projeto de autoria do deputado Bruno Pedrosa (PP) não trata de leitura obrigatória, apenas de garantir que haja ao menos um exemplar do Livro Sagrado para os cristãos nas instituições de ensino do Estado. Mesmo assim, as críticas ao projeto já se espalharam pelas redes sociais. 

“A Bíblia Sagrada é uma das obras mais lidas em todo o mundo devido ao seu caráter histórico de retratar acontecimentos marcantes para a humanidade”, disse o parlamentar ao defender o seu projeto. 

O projeto de lei apresentado, segue para análise da procuradoria da Assembleia Legislativa. Ele ainda passará pelas comissões técnicas da Casa e, se aprovado, será encaminhado para a votação em plenário. 

Proposta fere a laicidade do Estado? 

VEJA TAMBÉM
PL de Rogério Freitas é sancionado e campanhas educativas contra a violência à mulher ganham força

Muitos críticos ao projeto levantam a bandeira do Estado laico, dizendo que o Estado não deve oferecer o Livro Sagrado de nenhuma religião. Outros, pelo mesmo princípio, pedem que livros de outras religiões também sejam garantidos nas escolas para promover a pluralidade. 

“Podem colocar os livros de Kardec também? E os de Umbanda, Candomblé, Budismo, etc… Por que apenas os de uma religião? Querem impor? Transformar o Brasil numa teocracia evangélica para criar cada vez mais evanjegues fanáticos?”, escreveu um usuário do Facebook. 

Os mais radicais, porém, afirmam que a Bíblia é um livro de mitologia que promove uma série de preconceitos e homofobia. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.