Da Redação JM Notícia

diogo_Fernandes

O vereador Diogo Fernandes tem se posicionado contra o pedido de empréstimo de R$ 50 milhões feito pela Prefeitura de Palmas para investir em equipamento de energia solar em prédios de órgãos públicos.

Para Fernandes, que é presidente Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), é necessário consultar a população e verificar se é interessante para os palmenses ter ruas asfaltadas ou ter prédios públicos com energia solar.

O vereador declara que a Prefeitura tem tentado aprovar o projeto “no tapetão”, sem passar pelas comissões, como acontece com todo projeto, medida esta que ele não concorda, tanto que foi um dos motivos dele deixar a base aliada do prefeito Carlos Amastha.

“Eu tenho as minhas dúvidas como vereador. O que a sociedade prefere?”, questionou Fernandes. “A gente gastar R$ 50 milhões para asfaltar um monte de lugares que não tem asfalto ou a gente colocar placas de energia solar nos órgãos públicos, que inclusive, tem muitos deles que estão em prédios alugados”, completou.

VEJA TAMBÉM
Vereador João Campos propõe regularização da Quadra 55, em Taquaralto

Diogo Fernandes teve apoio de outros vereadores, entre eles o Milton Neris, Filipe Fernandes e Léo Barbosa que entendem que é preciso analisar a proposta e se posicionar a favor da população.

“É preciso fazer essa audiência, porque é a CCJ que elabora o texto e se for preciso alterar, a gente vai alterar sim. Temos que conversar com a sociedade e saber o que ela quer”, declarou Léo Barbosa.

Diogo Fernandes lembra que a Assembleia Legislativa do Tocantins levou 7 meses para discutir sobre os empréstimos enquanto que a Prefeitura de Palmas exige agilidade na aprovação de um projeto que está na Câmara há 40 dias.

Antes de colocar o projeto em pauta na CCJR, Fernandes quer aguardar a audiência pública que já está agendada e ele prefere entrar na Justiça para impedir que o empréstimo seja aprovado “no tapetão”.

Em entrevista ao JM Notícia, o vereador Diogo Fernandes denunciou que o presidente da Casa, José do Lago Folha Filho, quer avocar o projeto para o Plenário da Câmara passando por cima da CCJ.

Entenda a proposta da Prefeitura 

VEJA TAMBÉM
Jucelino Rodrigues pede instalação de base do Hemocentro na região Sul de Palmas

O Projeto de Lei Complementar nº 24 de 01 de Setembro de 2017 autoriza o Poder Executivo a contratar operação de credito junto à Caixa Econômica Federal (Caixa).

O valor de R$ 50 milhões será contratado por meio de linha de credito do financiamento para Programa de Financiamento para Infraestrutura e Saneamento (FINISA) bem como a realizar os atos necessários à implementação dos programas de investimento de corrente.

O recurso será destinado para financiar a implantação do projeto Renova Palmas, para a implantação de sistema de energia solar.