Da Redação JM Notícia

Por 44 votos a favor e 26 contrários, o senador Aécio Neves teve seu mandatado devolvido, após ser afastado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por acusação de receber propina de empresário.  A decisão do Senado aconteceu na noite desta terça-feira (17), permitindo que o senador tucano volte a exercer suas atividades parlamentares.

Aécio foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa por conta das denúncias feitas nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS.

Nessa denúncia, o senador mineiro teria recebido R$ 2 milhões da JBS como propina. Fora isso, a PGR declara que Aécio atuou em conjunto com o presidente Michel Temer para impedir o andamento da Lava Jato.

Veja como votaram os senadores do Tocantins 

Dos 44 votos que deram o mandato de volta para Aécio Neves, dois foram de senadores do Tocantins: Vicentinho Alves (PR) e Ataídes de Oliveira (PSDB).

Apenas a senadora Kátia Abreu (PMDB) votou contra, somando seu voto aos outros 25 senadores que eram contrários a volta de Aécio ao Senado.

VEJA TAMBÉM
Sobre a ideologia de gênero, Prefeitura de Colinas do TO diz que o assunto aborda apenas "formação das famílias"

Senador comemora decisão e diz que é inocente 

Após a decisão do plenário, a assessoria de Aécio divulgou a seguinte nota:

“O senador Aécio Neves recebeu com serenidade a decisão do plenário do Senado Federal que lhe permite retomar o exercício do mandato conferido pelo voto de mais 7 milhões de mineiros. A decisão restabeleceu princípios essenciais de um Estado democrático, garantindo tanto a plenitude da representação popular, como o devido processo legal, assegurando ao senador a oportunidade de apresentar sua defesa e comprovar cabalmente na Justiça sua inocência em relação às falsas acusações das quais foi alvo.”