Da Redação JM Notícia

Durante a sessão da Comissão de Segurança Pública da Câmara desta quarta-feira (18) o deputado Givaldo Carimbão (PHS-AL) se mostrou revoltado com as imagens da exposição Queermuseu que vilipendia elementos sagrados para sua religião, católica. 

Devoto de Nossa Senhora, o parlamentar reclamou do dinheiro público oferecido para aquela exposição onde víamos um macaco sendo amamentado pela Virgem Maria e uma outra obra com um homem urinando na imagem de Maria. 

“Eu queria que fosse com a mãe do ministro”, disse Carimbão se referindo ao ministro da Cultura Sérgio Sá que estava na sessão. Eu queria pegar a mãe do ministro e colocar com as pernas abertas”, completou o deputado bastante alterado. 

Sérgio Sá se levantou para deixar a sessão, mas gritou com o deputado exigindo respeito à sua falecida mãe. “Minha mãe é digna do seu respeito”, declarou o ministro enquanto o deputado declarava que Maria, que para ele é uma mãe, também merece respeito. 

O parlamentar ainda comentou que apresentou na Câmara um projeto de lei que aumenta a pena de quem cometer o crime de escárnio e vilipêndio, propondo prisão de 12 a 30 anos tanto para o artista, quanto para quem expõe e quem financia esse tipo de “arte”.

VEJA TAMBÉM
Votação da reforma da Previdência ficará para fevereiro de 2018

A presença do ministro na Comissão foi um pedido dos deputados que exigiam explicações sobre as exposições de Porto Alegre e do MAM de São Paulo, exposições estas que geraram muita polêmica no país nas últimas semanas. 

Assista: