Da Redação JM Notícia

m americano de 46 anos se tornou notícia em vários países do mundo por sobreviver a dois atentados que chocaram seu país. Em sua visão, o milagre de sair com vida desses dois incidentes é sinal de que Deus tem um plano para sua vida.

Em 11 de setembro de 2001 quando tinha 30 anos, Mike Dempsey trabalhava no World Trade Center, em Nova York, na segunda torre que foi atingida por um avião sequestrados por terroristas da Al-Qaeda. Assim como a multidão que estava no prédio, Dempsey evacuou, foi pisoteado, fraturou a clavícula, enfrentou o medo, o pânico e o pavor, mas conseguiu sobreviver.

Esses mesmos sentimentos tomaram conta de Dempsey em 1º de outubro deste ano, 16 anos após o atentado, quando ele estava na House of Blues no Mandalay Bay Resort, em Las Vegas. Das janelas do hotel, Stephen Paddock, 62 anos, disparou contra a multidão que acompanhava o show.

No momento do ataque, o americano estava na piscina do hotel quando ouviu os tiros que se pareciam com fogos de artifício. “Nunca em meus sonhos mais loucos poderia ter imaginado que esse incidente poderia ter acontecido. Mas, infelizmente, isso poderia acontecer em qualquer lugar, a qualquer momento”, disse ele ao canal FOX 46.

VEJA TAMBÉM
Número de pessoas que se afastam das igrejas cresce em Vilhena, em RO

Dempsey estava bem próximo de onde o atirador, no 32º andar, atirava no público que curtia música country em uma área aberta do hotel. Ele correu para o cassino e por lá ficou em segurança até que tudo foi resolvido.

Agora ele tenta superar mais um momento traumático em sua vida e relata que ainda ouve os barulhos dos tiros e se lembra das pessoas feridas correndo em busca de ajuda. “Essas são imagens que você não pode superar”, disse ele.

Mas que está disposto a enfrentar isso e ajudar as pessoas atingidas da mesma forma que ele se levantou para ajudar as vítimas do 11 de setembro.  “Talvez Deus tenha um plano para mim, e eu posso ajudar”, disse ele. “Em vez de ficar bravo ou chateado, vou tentar encontrar o que as famílias e os sobreviventes precisam”.