Da Redação JM Notícia

A principal pauta da Câmara dos Deputados desta semana será a discussão e votação do parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que é contra a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco. 

Os parlamentares terão que dizer se votam a favor da denúncia, o que livraria o presidente e os ministros da investigação, ou contra o relatório, permitindo que os citados sejam investigados. 

Na semana passada, a Comissão de Constituição e de Justiça (CCJ) votou o parecer pela não admissibilidade da segunda denúncia que liga o presidente do país e dois ministros a casos de corrupção. Foram 39 votos, contra 26 e uma abstenção. 

No plenário o governo precisa de um terço mais um, ou seja, 172 votos, para garantir que Temer, Padilha e Franco não sejam investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

O debate e a votação estão marcados para a próxima quarta-feira (25) e durante esses dias que precedem a discussão, líderes da base governista tentam convencer seus pares para votarem a favor do relatório. 

Antes da votação, o relator da CCJ, deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), irá discursar por 25 minutos mostrando os motivos pelo seu parecer contrário à admissibilidade da denúncia. 

Além do parlamentar, três advogados de defesa terão 25 minutos cada para apresentar suas justificativas. Depois disto, os deputados inscritos poderão discutir a denúncia por 5 minutos, cada um, sempre alternando entre deputados a favor do prosseguimento da denúncia e contrários a ela. 

Depois que quatro deputados falarem é permitida a apresentação de requerimento de encerramento das discussões, o qual será votado, desde que haja pelo menos 257 parlamentares no plenário. A aprovação se dará por maioria dos presentes. 

Só então é que começará a votação, primeiro a orientação das bancadas, onde cada líder tem um minuto para falar. Depois disto, será feita a votação nominal, por ordem alfabética, por estado, alternadamente do Norte para o Sul e vice-versa.  

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.