Da Redação JM Notícia 

A Secretaria de Cultura do Distrito Federal instituiu a Política de Cultura LGBTI, visando fortalecer, valorizar e fomentar a cultura lésbica, gay, bissexual, transexual, travesti e intersexual.

Entre os pontos publicado no Diário Oficial do Distrito Federal em 28 de setembro, lemos que a Secretaria passará a promover, gerar e apoiar ações culturais ligados ao assunto.

O ponto mais polêmico, diz que com a instituição dessa cultura, estará a promoção de respeito às diversidades de identidade de gênero, afetivas e sexuais.

 “A articulação com as Secretarias de Estado de Cidades, Educação, Saúde, Esporte, Turismo e Lazer, de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Di- reitos Humanos, administrações regionais e seus gerentes de cultura deve visar à realização de ações combativas à discriminação de LGBTI e à promoção de uma cidadania de respeito às diversidades de identidades de gênero, afetivas e sexuais”, diz o segundo artigo da política cultural.

Além disso, o texto se compromete a apoiar e incentivar uma série de frentes que visam promover o estilo LGBTI, inclusive buscar diálogo com instituições de ensino, promover o turismo cultural LGBTI, produções artísticas, eventos e mais.

VEJA TAMBÉM
Novela da Globo aborda o tema identidade de gênero

A Secretaria de Cultura também se compromete a levar o assunto para as escolas do DF quando cita que suas funções será “elaborar um projeto educacional, utilizando produções artísticas e culturais abordando temáticas como diversidade sexual e identidade de gênero, com recorte de raça e etnia, a ser proposto para escolas públicas e privadas do Distrito Federal e RIDE como forma de educar para a cidadania e inclusão”.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.
  • Samuel Souza

    O Senhor repreenda e expulse!